quinta-feira, 11 de dezembro de 2008

Agitação popular na Grécia continua pelo quinto dia consecutivo

Ocupação da delegacia da província de Creta

A Grécia já vai no quinto dia de agitação popular em várias cidades, com bancos e carros destruidos, grandes lojas saqueadas, delegacias atacadas, universidades ocupadas e as ruas a servirem de palco para batalhas campais entre polícia e manifestantes. E nesta quarta-feira (10), coicindindo com a greve geral no país e por manifestações nas principais cidades. Os transportes ficaram parados, os aeroportos também, as lojas e escolas fechadas e a televisão pública emitiu programas de desenhos animados.

Em Atenas, mais de 20 mil pessoas realizaram uma manifestação pelo descontentamento com as políticas econômicas do governo. A polícia lançou bombas de gás lacrimogêneo para conter um grupo de jovens que lançavam coquetéis molotov e pedras nos arredores do Parlamento, cercado por milhares de manifestantes.

Hoje (10), na Ilha de Creta (ilha turística), depois de uma manifestação que contou com mais de 3 mil pessoas, a Delegacia da Província de Creta foi ocupada em revolta pela morte de Alexis Grigoropulos, tal qual foi decidido nas assembléias estudantis de ontem, numa decisão tomada por cinco departamentos universitários. Nas manifestações participaram estudantes e muitos trabalhadores.

Distúrbios na Universidade de ASSOE

Ontem (9), mais de mil pessoas estiveram atacando a polícia de choque grega que tentava retomar a Universidade. A cada momento havia mais gente que se aproximava da universidade, com os antidistúrbios recebendo ondas de pedras e garrafas. Finalmente fugiram e desapareceram das ruas ao redor da ASSOE.

Provocações

Militantes neofascistas estão trabalhando lado-a-lado com a polícia e atacando os manifestantes. Inclusive saqueando pequenos comércios e culpabilizando os jovens revoltosos. “Na cidade de Kavála, anarquistas e antiautoritários perseguiram e surraram agentes secretos "disfarçados” durante uma manifestação na manhã de ontem (9).

Enterro

Alexis Grigoropoulos foi enterrado ontem (9) à tarde no cemitério de Paleo Faliro, nas imediações de Atenas, diante de uma presença de mais de 7 mil pessoas, que gritaram lemas contra a polícia e o governo.

“Assassinos, porcos...” ecoavam os jovens no momento que o féretro branco com o corpo do falecido era introduzido no túmulo. “Alexis, estás vivo!”, gritavam alguns assistentes, enquanto outros aplaudiam.

Antes e depois do enterro aconteceram duros enfrentamentos entre manifestantes e a polícia de choque, nas imediações do cemitério.

O funeral do jovem Alexis foi transmitido ao vivo por inúmeras canais de TV gregas.

Solidariedade internacional

Hoje (10), dezenas de manifestações em apoio e solidariedade com a revolta na Grécia, com os detidos e o assassinato de Alexis Grigoropoulos aconteceram por diversas cidades européias. Em algumas cidades dos Estados Unidos também ocorreram manifestações de rua de apoio, com a particiapção de anarquistas, antiautoritários, anticapitalistas, militantes queers, antifascistas e outros radicais.

agência de notícias anarquistas-ana

A noite flutua
e as rosas dormem mimosas
aos beijos da lua.

Humberto del Maestro