quarta-feira, 7 de janeiro de 2009

Jornalistas Infiltrados [Tele 5] nos movimentos sociais - interceptados quando queriam provocar alarme social

Já pelo menos desde os tempos de Jesus Cristo (tenha este existido ou não), e da ocupação romana (Judas e os Zelotes [1]) que a infiltração em grupos de pessoas que procuram a justiça, é uma pratica por parte dos grupos de poder de forma a justificar o Estado Policial, mostrando às massas da população que se essas pessoas tivessem exito, o resultado seria o caos como desordem e destruição gratuita, o vandalismo e a violência pela violência, criando assim o pânico social conivente com o então necessário Estado Policial.

Quer nos EUA quer na Europa do Seculo XX, a infiltração de grupos de pessoas procurando a Justiça foi uma arma dominante. Estas operações foram levadas a cabo por conjuncturas de Serviços Secretos e membros de Grupos de Extrema Direita.
Nos movimentos Afro-Americanos (Quer pacifistas - Martin Luther King quer Black Panthers) a missão ficou a cargo da COINTELPRO[2], que incluia FBI, membros de Ku Kux Klan, etc.
Na Europa, a maior operação, chamada "Estratégia de Tensão", era a Operação Gládio [3], da NATO que incluia a própria CIA, membros de Serviços Secretos Europeus, e elementos de Grupos de Extrema Direita locais. Foram responsáveis, entre outras operações pelos Massacres de Piazza Fontana [4], Massacre da Estação de Bologna [5] em Italia em cordenação com a Ordine Nuova e a loja maçónica Propagande Due - P2 [6], ora os assassinatos de independentistas Bascos pelos GAL [7] de Espanha, acções de apoio ao Regime dos Coroneis na Grecia depois do Putch de 67, etc, etc.
Da Europa davam um salto a Africa, através da AGINTER PRESS[8], centro logistico da Rede Terrorista de Estado, camuflada de "Agência de Jornalistas" com sede em Lisboa. Foram responsáveis pelos assassinatos do Lideres da FRELIMO de Moçambique - Eduardo Mondlane, do PAIGC da Guiné - Amilcar Cabral, e do General Anti-Salazar Humberto Delgado. Com o apoio do grupo PALADINO[9] tomaram Cabinda ao MPLA de Angola.

Um documento da AGINTER PRESS "A nossa Actividade Politica" descoberto em 1974, descreve bem a intenção desta estratégia de infiltração e provocação:

"Acreditamos que a primeira fase de actividade politica deve ser criar as condições favoráveis à instalação do caos em todas as estruturas do regime... A nosso ver o primeiro movimento que devemos fazer é destruir a estrutura do estado democratico sobre a capa de actividades comunistas e pro-chinesas... Mais à frente, teremos pessoas infiltradas nesses grupos e obviamente iremos talhar as nossas acções pelo sistema de valores dos ambientes das redondezas - propaganda e acção de um tipo que parecerão emanar dos nossos adversários comunistas... [Estas operações] irão criar um sentimento de hostilidade para com aqueles que ameaçam a paz de cada e qualquer nação. [i.e. Comunistas]"
Assim, observamos, que as duas bases desta estratégia são as Infiltrações e os Jornalistas. O Video abaixo, mostra 2 "jornalistas", às ordens deste tipo de gentalha, neste caso, do canal de Televisão do membro da já citada loja Maçónica Propagande Due - P2 - Silvio Berlusconi, Tele 5, infiltrando-se entre jovens contestatários.

Este tipo de Jornalistas não se infiltram nas redes maçónicas nem de pederastas ao serviço das Casas Reais e altos mandos da politica e magistraturas, não. Infiltram-se entre os qu e procuram a justiça de modo a que as pessoas os odeiem, e assim, a injusta ordem em que vivemos continue, se necessário, à custa de Estados Policiais. Neste caso, pelo menos, os falsos jornalistas ao serviço da mnipulação são detectados e as suas gravações expostas: