quinta-feira, 15 de janeiro de 2009

UM OLHAR À SITUAÇÃO NA GRÉCIA


faixa colocada no centro de Coimbra

Resumo e balanço da revolta geral no território grego, desde o assassinato de Alexis até ao dia 14 de janeiro.

Detenções:

Mais de 270 pessoas foram detidas desde 6 de Dezembro, o dia do começo da insurreição, em 15 cidades gregas. 67 foram mesmo presas, enquanto que 50 imigrantes que tinham sido detidos nos primeiros 3 dias, foram rapidamente condenados a 18 meses de cadeia e estão a ser deportados.
19 detidos em larissa estão acusados sob a lei anti-terrorista. Sábado, dia 17, haverá uma manifestação nacional em Larissa, em solidariedade com os detidos.
Uma pessoa foi presa ontem em Salónica, acusada de "uso de explosivos" e "organização em gang", a propósito da tentativa de uso de fogo/explosivos numa esquadra da polícia. Houve uma manifestação em apoio em frente à esquadra onde ele está detido, na terça-feira, e a audiência em tribunal é hoje (5ª-feira) à tarde.


Espaços Liberados:

O edifício do Sindicato de Jornalistas está ainda ocupado por jovens e trabalhadores. Em solidariedade com a revolta de Dezembro, mas também por problemas de desemprego, pela cobertura alternativa das acções por parte dos mass media, etc.
Um café da Câmara Municipal, numa rua central do distrito de Zografou, foi ocupada por antiautoritários, com o objectivo de funcionar enquanto espaço de contra-informação, discussão e coordenação de acções.

Solidariedade com Konstantina Kouneva:

Empregados e trabalhadores de 27 sindicatos principais fizeram uma concentração nos escritórios do Evangelismos hospital, onde Konstantina está a ser tratada. Este hospital também usa empresas sub-contratadas de limpeza, iguais à que tinha contratado konstantina.
O Centro do Sindicato dos Trabalhadores foi ocupado em solidariedade com Konstantina e com os detidos da revolta, por 2 dias.

(Konstantina Kouneva, uma mulher, imigrante e sindicalista, foi violentamente atacada com ácido sulfúrico na cara, devido à sua acção política contra os seus patrões)


Universidades e Escolas Secundárias:

Há 62 faculdades ocupadas, assembleias diárias de estudantes por toda a grécia e manifestações nacionais de estudantes marcadas para hoje (dia 15) em várias cidades.
Existe um protesto por parte dos pais dos alunos de uma escola, que são aterrorizados pelas autoridades escolares por terem participado na ocupação da escola em Outubro.
Uma outra escola secundária em Atenas foi ocupada pelos alunos, para protestar contra a decisão dos professores em transferir 4 estudantes para outra escola e expulsar outros 5 das aulas durante 5 dias. Protestam também contra as câmaras de vigilância colocadas no exterior da escola!

Lutas dos Trabalhadores:

120 pessoas foram despedidas de uma fábrica tipo siderurgia em Larimma. 3 pessoas foram demitidas de uma estação de tv de Atenas. Os trabalhadores da companhia de águas em Salónica estão em greve, permanecendo no edifício (apesar das ameaças dos patrões) para assegurarem-se que não há problemas com o abastecimento de águas. Estão contra a privatização da companhia, a corrupção interna e pedem a contratação de mais pessoal.

Guerra na Palestina:

Uma manifestação contra a guerra na Palestina está a ser organizada para sábado, dia 17/01.
Arion, um barco de ajuda humanitária grega, que transfere médicos e comida para a faixa de Gaza foi impedido de entrar e ameaçado pelo exército israelita
(ver notícia publicada pelo jornal público).

Entretanto, pessoas, organizações de estudantes e de esquerda têm-se mobilizado contra o envio de armas norte-americanas para israel, através do porto privado de Astakos.


Notícias publicadas pelos mass-media:

Os meios de comunicação publicaram os resultados oficiais dos exames de balística da polícia sobre o disparo contra o jovem Alexis, afirmando que a bala atingiu uma bola de mármore (que funcionava como barreira de um passeio) que estava junto a Alexis, e depois virou-se contra o seu corpo. Comentadores pensam que isto prova que o bófia disparou realmente contra os jovens.
Os mass-media anunciaram também que a suposta "organização terrorista" chamada "Luta Revolucionária", tal como suspeitado pela polícia, emitiu um comunicado reclamando os disparos contra 3 polícias, resultando nos ferimentos graves de um deles.


Retirado e adaptado de:
http://athens.indymedia.org/front.php3?lang=el&article_id=970375

http://www.occupiedlondon.org/blog/ (textos em inglês)