sábado, 3 de janeiro de 2009

Grécia: em luta contínua...


No dia 23 de Dezembro, Konstantina Kouneva, uma empregada de limpeza migrante da Athens Piraeus Electric Railway (ISAP) foi atacada com ácido sulfúrico na sua cara quando regressava a casa do trabalho. Ainda está em perigo. Mesmo não havendo provas concretas, a malta daqui sabe que o ataque contra Konstantina foi ordenado pela sua empresa empregadora, Oikomet SA, uma empresa sub-contratada pela ISAP. Desde a altura do ataque, tem havido gente solidária que ocupou os escritórios centrais da ISAP em Atenas (o blog da ocupação é http://katalipsihsap.wordpress.com/). Em Salónica, o Centro de Trabalho local (isto é, a sede do sindicato “mainstream”) também foi ocupada (o blog da ocupação é http://katalipsiergatikoukentrou.blogspot.com/). Ambas as ocupações organizaram uma série de manifestações, concertos solidários e acções de contra-infoamação (ocupando, por exemplo, o sistema de som de estações de metro para lerem comunicados sobre o ataque). Há uma manifestação a decorrer neste momento (sábado, 3 de Janeiro, 14h00) em Petralona, perto da casa de Konstantina.

2009 tinha apenas começado e já havia manifestações de solidariedade com os detidos por todo o país. Em Atenas, cerca de 1000 pessoas juntaram-se à porta da prisão Korydalos, com fogo de artifício e slogans solidários com os prisioneiros. Os participantes dizem que foi uma das manifestações mais emocionais desde há muito tempo.

O próximo grande encontro parece ser a da manif da educação, a 9 de Janeiro. É uma manif organizada por estudantes e professores do liceu e da universidade e é considerada um encontro importante para se ver como é que as coisas se vão passar daqui para a frente. A data da manif marca o 18º aniversário do assassinato de Nikos Temponeras, um professor que foi assassinado por gente da extrema direita (membros do partido agora no poder) à porta da sua escola, em Petras, que foi, nessa altura, ocupada pelos estudantes.