quinta-feira, 16 de abril de 2009

Destruição da unidade de isolamento da prisão de Brujas (Bélgica)

A 2 de Abril, os presos destruíram o novo módulo de isolamento na prisão de Brujas, na Bélgica. Este novo módulo foi aberto há quase 10 meses e aparentemente não alcançou o seu objectivo de cortar o espírito de revolta de alguns presos. Os distúrbios e a destruição obrigaram os directores da prisão a fechar o novo módulo.
Tradução do texto do poster que foi colado em diferentes cidades belgas...

Nada terminou, tudo continua.
A destruição da Unidade de Isolamento da prisão de Brujas (Bélgica)

A prisão é apenas o reflexo da sociedade em que vivemos. A própria sociedade é uma vasta prisão onde se encerra a grande maioria das pessoas na necessidade de encontrar dinheiro, na ausência de perspectivas de vida, nos papéis de servidão e submissão concedidos pelos valores dominantes. Tal como nas ruas, nas prisões, nos centros psiquiátricos e nos centros de detenção de imigrantes, há pessoas que não se resignam e que só porque um juíz o ordenou, não perdem o gosto pela liberdade e uma vida melhor. Pessoas que diariamente recusam a humilhação de obedecer aos guardas prisionais e seus chefes. Pessoas para as quais os muros e os arames farpados ainda não se imprimiram nos seus cérebros, até pelo contrário, pois vêem-nos como obstáculos a superar. Porque o castigo que lhes oferece a sociedade, através dos seus juízes e da sua justiça, só é a consequência de um mundo baseado na opressão e na exploração.

Por isso, desde há 3 anos, uma pequena tempestade de revolta assola uma dezena de prisões e centros de detenção de imigrantes na Bélgica. Amotinam-se, queimando a infraestrutura carcelária, atacando os guardas, escapando-se, e alguns presos encontraram o que o sistema lhes quis tirar definitivamente: a coragem, o desejo de liberdade e uma audácia que sonha eliminar toda a merda que esta sociedade produz.
Como resposta, o Estado, entre outras coisas, abriu módulos de isolamento em Lantin e Brujas, verdadeiras prisões dentro da prisão, para isolar melhor e quebrar os "refractários". Mas inclusivé dentro destas jaulas, há quem não tenha perdido o gosto pelo combate.
A 2 de Abril de 2009, os presos de Brujas inundaram as celas desse módulo e destruíram-no quase por completo. No mesmo momento em que o governo anuncia os seus planos para a construcção de 7 novas prisões, encontra-se obrigado a fechar o módulo de isolamento de Brujas. A máquina prisional não marcha tão bem como parece.

Força e coragem para todos os que lutam pela liberdade, dentro e fora!
Ataquemos nós também tudo o que nos encerra, explora e oprime!