sexta-feira, 6 de novembro de 2009

Boicote de acto cultural em Barcelona em solidariedade com António Ferreira.

Quarta-feira, pelas 19h, um grupo de solidários com António Ferreira
boicotou a apresentação de uma nova antologia poética portuguesa em
Barcelona. O acto, organizado pelo consulado português no Ateneu
Barcelonès(equivalente ao grémio literário em Lisboa), foi a primeira de
uma série de iniciativas para vender a triste "cultura" portuguesa em
Barcelona que decorrerão durante o mês de novembro. Esta apresentação
contava com a presença, para além do cônsul Bernardo Futscher, de dois
"poetas" lusos, Ana Luísa Amaral e –uma dessas figuras que nunca
percebemos bem se aspira mais a ser poeta ou político– Vasco Graça Moura.
Infelizmente, Manuel Alegre(outro que tal), cuja presença também era
orgulhosamente anunciada na página de internet do consulado, não pôde
assistir por encontrar-se doente, desejamos-lhes as rápidas melhoras e
esperamos que algum dos panfletos distríbuidos no acto lhe chegue às mãos.
No fim de algumas palavras desestabilizadoras ficou bem plasmado o apoio
ao António, assim como ao preso catalão Amadeu Casellas.

A situação do António continua num limbo imprevisível e o nosso apoio
continuará até vê-lo definitivamente em liberdade. Aqui estamos e aqui
estaremos...



Texto que foi distríbuido durante o boicote:


Como herege, desci ao antro estreito,
às masmorras infectas e sombrias,
onde, enterrado, vivo, há longos dias,
sem ver o Sol, que em vão, à grade espreito
Roberto das Neves

Num país de poetas existem pessoas a cumprir penas de prisão perpétua. Num
país de poetas há centros de extermínio onde as denuncias de torturas são
reiteradamente silenciadas. Num país de poetas a única poesia ainda viva
late na revolta de cada homem e mulher encerrado nas masmorras da
democracia.

António Ferreira de Jesus, nascido em 1940, num meio familiar
economicamente pobre, não conforme com a desigualdade social a que estava
submetido, pôs em práctica a sua rebeldia e foi detido a primeira vez
quando tinha 17 anos de idade.
Depois destes acontecimentos foi sequestrado outras três vezes pelo estado
fascista(até 1974) e pelo estado democrático. Na totalidade já cumpriu
mais de 45 anos de prisão! 45 anos sequestrado pelo Estado!
Como pessoa que nunca deixou de reivindicar os seus direitos e convicções,
que nunca se deixou amordaçar e que sempre manteve uma atitude combativa
dentro da prisão, António sofreu um tratamento muito descriminatório por
parte de todo o aparato da “Justiça”. No seu caso, o cúmulo jurídico não
lhe abrangeu todas as penas deixando-o numa situação equivalente a uma
condenação perpétua; e o juiz da execução de penas, “interpretando” as
leis à sua própria maneira, leva a que o António (que legalmente deveria
estar em “liberdade” há mais de 6 anos) continue a cumprir uma perpétua
encapotada. Até 2007 já lhe foram oficialmente atribuídas 3 datas para a
apreciação da liberdade condicional .
Actualmente, e depois de ter passado estes últimos anos pelos
Estabelecimentos Prisionais do Hospital Prisional de Caxias, Vale de
Judeus e Paços de Ferreira, António encontra-se encarcerado no E.P. de
Pinheiro da Cruz, sujeito à classificação por parte da Direcção Geral dos
Serviços Prisionais (D.G.S.P.) de “preso perigoso” e submetido ao controle
e vigilância permanente (G.I.S.P.) em todas as suas deslocações.
António é considerado perigoso para o sistema porque defende a sua
dignidade, porque é solidário com os seus companheiros e porque denúncia
a barbaridade do sistema.
O António, na noite de 28 de Setembro de 2009, foi submetido á prisão
dentro da prisão, ou seja, ao regime 111º, com a separação de toda a
população prisional; e a partir desse momento começou uma greve de fome ,
a qual, por motivos de saúde, suspendeu a 12 de Outubro.
Nestes momentos a luta do António centra-se em presionar uma transferência
para outra prisão, já que no E.P. de Pinheiro da Cruz a sua vida corre
perigo, tanto pelas ameaças já várias vezes proferidas, como pelas
repetidas induções ao suicídio por parte do Sistema.

Solidariedade com o António e com todos os presos combatentes!
Pela reapropiação das nossas vidas roubadas pelo domínio!


+ informação: http://libertemferreira.no.sapo.pt