sábado, 29 de novembro de 2008

Várias faculdades ocupadas em Espanha contra a aplicação do Processo de Bolonha







Estudantes exigem que o debate seja aberto
Várias faculdades ocupadas em Espanha contra a aplicação do Processo de Bolonha


27.11.2008 - 19h43

Inês Subtil

Ao som da palavra de ordem "avalancha" os estudantes em Espanha têm ocupado nas últimas semanas várias faculdades e exigem que seja aberto o debate em torno do Processo de Bolonha. Quase dez anos depois da União Europeia ter estabelecido o plano para a criação do Espaço Europeu de Educação Superior, e da aplicação em Portugal ser um dado adquirido, no país vizinho ainda se grita a plenos pulmões "Não a Bolonha!".

É difícil saber ao certo quantas faculdades estão encerradas, porque o número de estudantes em luta e os edíficios ocupados aumenta a cada dia que passa. O movimento já se estendeu às universidades de Barcelona, Autónoma de Barcelona, Complutense de Madrid, Sevilha e Valência. Em declarações ao PÚBLICO, Màrius Samso, estudante de Biologia na Universidade Autónoma de Barcelona, explicou que "a ideia não é acabar com o plano de Bolonha, mas sim que as assembleias de estudantes possam tomar uma posição na definição do processo".

A Faculdade de Ciências, onde estuda, vai ser ocupada na próxima semana, após aprovação ontem em reunião geral de estudantes. Na mesma instituição, são já três as faculdades encerradas: Ciências Políticas, Comunicação e Letras. Pelas salas e corredores, há sacos-cama e colchões prontos a servir de camas improvisadas às centenas de estudantes que aí têm passado a noite.

"Não é um fenómeno passageiro"

Hoje, numa carta ao Governo espanhol, divulgada pelo jornal "El País", os reitores das cinco universidades afectadas afirmaram que este "não é um fenómeno passageiro" e acrescentam "o movimento anti-Bolonha não está a desvanecer-se, senão a crescer e pode ter consequências imprevisíveis". O documento alerta que no total estas instituições albergam mais de 250 mil alunos, um quinto dos estudantes das 50 universidades públicas de Espanha.

As acções de protesto contra a Declaração de Bolonha, assinada em 1999 por 29 países, não são de agora. Um pouco por toda a Europa, incluindo Portugal, as vozes contra o modelo têm-se ouvido mas com intensidades diferentes. Sob o lema de facilitar a homologação de títulos no sistema universitário europeu e a mobilidade de alunos e professores, a implementação do projecto tem sido sempre apresentada como inevitável para a modernização das instituições de Ensino Superior. No entanto, os estudantes espanhóis recusam-se a pensar da mesma maneira.

Ao contrário de Portugal, só este ano o Processo de Bolonha começou a ser aplicado nas licenciaturas em Espanha. Até agora, apenas os mestrados e doutoramentos tinham sido adaptados ao modelo europeu. Nas acções de protesto os alunos argumentam que o processo vai conduzir à privatização das Universidades; ao aumento das propinas – com a necessidade de fazer pós-graduações e mestrados, face à redução dos anos de licenciatura –; e que muitos cursos estão mesmo em risco de acabar, uma vez que a rentabilidade (em termos de emprego e investigação) passa a ser definida pelas necessidades do mercado. Talvez por isso, a maioria das faculdades ocupadas são da área de Humanidades (como Filosofia, História, Geografia, Pedagogia e Comunicação).

Primeiras ocupações já duram há mês e meio

Em Espanha, os grandes pioneiros do movimento anti-Bolonha foram os alunos da Universidade de Valência, que há um mês e meio ocuparam, pela primeira vez, um dos edíficios da instituição. Depois, como uma bola de neve, chegou a haver sete encerramentos, um número que vai variando consoante o que se decide nas assembleias de faculdade convocadas quase todos os dias.Mas, apesar dos protestos, o conselheiro da Inovação, Universidades e Empresas da Generalitat da Catalunha afirmou hoje, citado pelo "El Mundo", que "o Plano de Bolonha é irreversível e não haverá marcha-atrás". Josep Huguet assegurou que "esta é uma oportunidade" para a Europa enfrentar a crise actual: "Só sairemos desta situação se conseguirmos alcançar a excelência e a transferência do conhecimento da universidade para a sociedade".

Nem todos parecem tranquilos. Os reitores das cinco instituições, com edíficios ocupados por estudantes, dizem que "chegou o momento de abordar esta questão com urgência". As preocupações que o movimento se estenda a outros sectores da sociedade, como professores e famílias, fez com que o grupo pedisse uma audiência com os responsáveis do Ministério da Ciência e Inovação.

Contra ou a favor das reformas, os responsáveis universitários em Espanha estão à espera de um resposta clara por parte do Governo sobre as mudanças no Ensino Superior, "uma mensagem pública sobre o que representa Bolonha", acrescenta a carta hoje enviada pelos reitores.

http://ultimahora.publico.clix.pt/noticia.aspx?id=1351466

quinta-feira, 27 de novembro de 2008

Pastelaria Lua de Mel (Lisboa) fecha sem aviso e PSP agride os trabalhadores


Os 20 trabalhadores da pastelaria Lua de Mel, situada na Baixa de Lisboa, estão diariamente em vigília frente às instalações desde o dia 15 de Novembro, aguardando por um esclarecimento dos patrões que teima em não aparecer. Tudo começou no dia 14 de Novembro à noite, sexta-feira, quando após um dia normal de trabalho, os trabalhadores receberam um telefonema informando que a pastelaria iria encerrar durante três dias para limpezas. Estranhando a situação, pois o sócio gerente, José Fernandes, não havia mencionado qualquer limpeza e até tinha recebido vários pedidos de encomendas para os dias seguintes, os funcionários decidiram voltar à pastelaria no sábado de manhã, dia 15, encontrando vários homens a “limpar” a pastelaria de todos os bens que lá existiam, retirando todas as máquinas e equipamentos que encheram pelo menos sete carrinhas. Os trabalhadores tentaram impedir a saída das carrinhas com o recheio das instalações e foi chamada a PSP. As forças policiais (que incluíam vários elementos do corpo de Intervenção) esperaram até cerca das 19h45, hora em que as lojas das redondezas já tinham fechado e o número de pessoas que por ali passava era reduzido (evitando assim que a população se juntasse ao protesto e assistisse ao que se iria passar), para cercar as instalações da pastelaria (desde a Rua da Prata onde esta se situa até ao fim da Rua de Santa Justa) para deixar sair as carrinhas com o material da pastelaria e agredir os trabalhadores que protestavam. Dois deles, Mário Sousa e António Mendes Costa, tiveram mesmo de receber assistência hospitalar devido aos ferimentos.

Os trabalhadores da pastelaria Lua de Mel, alguns com mais de 50 anos, têm um contrato colectivo de trabalho, sendo que alguns deles contam com 30 anos de casa e nunca tinham ouvido dos patrões que a pastelaria iria encerrar. Desde o início que tentam contactar com os sócios gerentes, José Fernandes e Augusto Ferreira, mas estes mantêm-se incontactáveis. Entretanto, já foi interposta uma providência cautelar para suspender este encerramento ilegal e foi pedida uma reunião ao Ministério da Administração Interna (MAI) para questionar o comportamento cobarde da PSP que não só deu cobertura à retirada do recheio da empresa, como ainda agrediu os trabalhadores. Como não receberam qualquer notificação de desemprego, os trabalhadores vêem-se obrigados a comparecer todos os dias junto à pastelaria, cumprindo na rua o seu horário, pois se não o fizerem pode-se alegar que não estão no seu posto de trabalho e justificar assim o seu despedimento. Contam com a solidariedade dos vizinhos e dos clientes que por ali passam e se deparam com o papel nas montras do estabelecimento informando sobre a falsa “limpeza” que foi apenas um estratagema para os patrões enganarem os trabalhadores e desaparecerem com tudo sem prestar contas a ninguém.

A advogada da sociedade que detém a pastelaria Lua de Mel, Alice Ferreira, veio uns dias depois informar que a empresa se debatia com dificuldades financeiras e que a gerência decidiu fechar portas, admitindo que “deveria ter sido feito um pré-aviso de encerramento” mas “a gerência optou por não o fazer” (Diário de Notícias de 19/11/2008). Alice Ferreira disse ainda que “a casa foi entregue ao senhorio porque o contrato de arrendamento cessou em Outubro” mas não quis revelar qual foi o destino do recheio da casa, referindo que existem 200 mil euros para distribuir por 17 trabalhadores e que os restantes 3 funcionários já foram levantar o cheque. Segundo o Sindicato dos Trabalhadores na Indústria de Hotelaria, Turismo, Restaurantes e Similares do Sul, a indemnização proposta corresponde a 70% do valor devido e se os trabalhadores optarem pela via da indemnização vão exigir os 100%.

A gerência desta antiga pastelaria da Baixa Lisboeta escolheu fechar a casa, sem sequer comunicar aos empregados e teve ainda o descaramento de os tentar enganar. Esta situação é bastante ilustrativa de como os patrões têm sempre “a faca e o queijo na mão” e fazem o que bem entendem com a vida de quem exploram. Por outro lado, podemos concluir também que, uma vez mais, a polícia, ou seja, os lacaios prontos a servir os interesses do Estado e do Capital, aparecem sempre nas melhores alturas: a tempo de silenciar a mínima voz de protesto e de usar da sua força bruta para calar quem realmente trabalha. É de salientar ainda que um dos trabalhadores agredidos vai fazer queixa contra a actuação da PSP e que os trabalhadores se mantêm unidos e com vontade de lutar pelos seus direitos.

AIT-Secção Portuguesa

quarta-feira, 26 de novembro de 2008

Site de apoio aos detidos a 11 de Novembro em França


Este site foi criado como comité de suporte dos nove acusados, em 11 de Novembro, de Tarnac, Rouen e Paris.

Condenamos as acusações desmedidas e sem fundamento.

Condenamos a utilização de dispositivos antiterroristas que permitem essa desproporção e estas injustiças.

Exigimos a libertação imediata das cinco pessoas detidas e a retirada para todos e todas, das acusações incriminatórias de “terrorismo” e “associação de malfeitores”.

Podem encontrar nestas páginas alguns formas de solidariedade ( criação de comités locais, ajuda moral e financeira… ). Vamo-nos focar sobre alguns detalhes que possibilitem a criação de espaços de acesso a : revistas, imprensa, textos de análise, à divulgação de acções e eventos de solidariedade, publicação das inúmeras cartas que temos recebido, etc

Um espaço que concerne à discussão sobre as leis anti-terroristas e sua utilização, deve igualmente ser aqui criado.

Páginas específicas serão criadas para os comités locais que mostrarem essa vontade, como é o caso da página relativa a Tarnac.

Solidariedade total para com os acusados


http://www.soutien11novembre.org/

contacto para envio de textos sobre o sucedido: soutientextes.tarnac@gmail.com
contacto para propostas de ilustração para futuras publicações: soutiengraphique.tarnac@gmail.com

contacto para a organização de concertos, jantares, debates benefit de apoio à causa: soutienconcerts.tarnac@gmail.com

contacto para receber informação:
11novembre-soutien@gmx.com

Presos em França

Foi criado um site de apoio aos 9 jovens franceses presos em consequência das "sabotagens" à linha do TGV e que são acusados pela polícia de serem anarco-autónomos.

http://www.soutien11novembre.org/

JORNADAS DE LUTA NAS PRISÕES NOS ESTADOS ESPANHOL E ITALIANO


A partir de 2ª-feira, 1 de Dezembro, vão ter lugar diversos protestos nas prisões europeias.
Em Itália 800 presos ergastolanos (Ergastolo é o nome dado à prisão perpétua, regime ainda existente neste estado) começam esse dia com um jejum colectivo e greves de fome rotativas que durarão uma semana em cada prisão, até ao dia 16 de Março.

No estado espanhol, sabe-se que pelo menos 21 companheiros presos vão apoiar estas jornadas de protesto, nos dias 1, 2 e 3 de Dezembro, sob a forma de jejuns e permanência nas celas. Estes protestos acontecem em solidariedade com a luta dos presos ergastolanos e por uma série de pontos reivindicativos face ao sistema penal e judicial do estado espanhol.

No link que deixamos aqui, estão disponíveis uma série de documentos gráficos e escritos para utilizar durante as mobilizações, que ajudem a extender de forma eficaz a solidariedade até ao outro lado dos muros!
Esses mesmos documentos podem ser usados para qualquer outro organismo político, judicial ou penitenciário.
É possível encontrar também as moradas dos presos em espanha que se vão juntar aos protestos, de maneira a que se possam enviar cartas de apoio.


(NOTÍCIA COMPLETA)

terça-feira, 25 de novembro de 2008

Festa Rude na C.O.S.A.

27 de Novembro, 22h - Projecção do documentário: "Os Respigadores e a Respigadora" - Livraria Gato Vadio - Porto

gato vadio - !beber contra os livros, incendiar bibliotecas, Herberto Helder





OS RESPIGADORES E A RESPIGADORA
Realização: Agnés Varda
Actores: Bodan Litnansk, Macha Makeïeff, François Wertheimer, Agnés Varda
Montagem: Agnés Varda
Música: Joanna Bruzdowicz, Isabelle Olivier, François Wertheimer
Formato: 35mm, cor
Origem: França
Distribuição: Atalanta
Classificação: M/12
2000; 82m

Ciclo de Cinema Discriminação e Não-Violência

OS RESPIGADORES E A RESPIGADORA, de Agnés Varda


A partir de um célebre quadro de Millet, o filme de Agnès Varda é um olhar sobre a persistência na sociedade contemporânea dos respigadores, aqueles que vivem da recuperação de coisas (detritos, sobras) que os outros não querem ou deixam para trás. A respigadora, nesse sentido é Agnès Varda, que experimentando pela primeira vez uma pequena câmara digital, se quer assumir como uma “recuperadora” das imagens que os outros não querem ver nem fazer, e que portanto deixam para trás (“le filmage est aussi glanage”). Um filme lúcido e livre, mediado pelas “mãos que envelhecem” da própria cineasta.



Uma iniciativa Amnistia Internacional & Movimento Humanista inserida na Marcha Mundial Pela Paz e Não-Violência


segunda-feira, 24 de novembro de 2008

6, 7 e 8 de Dezembro: Oficinas Activas - Casa Viva - Porto

.
.,
Oficina Activa
– Um encontrão de Acção DirectaDo microclima CasaViva, onde o espaço aberto proporciona aos que por ali passam a oportunidade de criar e recriar-se, saíram Galinhas em Acção pela simples masturbação ou pelo mercado do bolhão, passeando pela cidade na tentativa de a libertar da autoridade, okupando espaços abandonados transformando-os em bibliotecas e hortas… Num dos momentos ctiva
de prazer as Galinhas foram ao Cinema Comunitário encontrando por lá histórias de outras Galinhas em Acção picando calcanhares ao G8, pela América do Sul… Decidiram dedicar-se ao cinema e começando pela teoria da história do cinema… perceberam…o que faz falta é a ferramenta e daí ir para a rua… fazer filmes!
Galinhas há muitas e motivações para Acção Directa não faltam! Cacarejaram aos sete ventos as suas necessidades, e cada um desses ventos trouxe uma resposta positiva para a partilha de conhecimentos e práticas.
Foi então o momento de estruturar este encontro, a acontecer na CasaViva, em formato de fim-de-semana, com 7 oficinas práticas incentivando à Acção Directa: activismo, técnicas de protesto, técnicas de campanha, questões legais e outros “i’s”, técnicas de primeiros socorros, os media alternativos e as novas formas de protesto.Venham ao cheiro ou Tragam Vidrinhos de Cheiro!Bancas… Fanzines…vídeos…projectos… álbuns de fotografias… recortes de jornal… cabos de Internet…música…poesia…exposições…piratices e outras aldrabices…
A intenção é aumentar a possibilidade de partilha como forma de tornar este espaço ainda mais Reactivo! . …e como uma galinha nunca vem só …Perspicazes, as Galinhas, escolheram o fim-de-semana 6 e 7 de Dezembro, sendo que segunda-feira é feriado e pode então dar-se que tanta informação degenere em concretização… Até breve !!



Sexta dia 5
19 às 22h - chegadas, últimos preparativos, jantar
22h - filmes sobre acção directa
.
.
Sábado dia 6
9.30h - pequeno-almoço
10.00h-12.00h Oficina de Activismo
12h-14.00h Almoço, concerto e bancas
14.00h-16h Oficina de técnicas de protesto
16h-17h Intervalo e concerto
17h-19h Oficina de conceitos legais
19h- 22h Jantar, concertos e Bancas
22h - Filme
.
.
Domingo dia 7
9.30h - pequeno-almoço
10h-12h
.
Oficina de Técnicas de Campanha
.
12h-14h: Almoço, concerto, bancas
14h-16h: Oficina de Primeiros socorros
16h-17h: Intervalo, concerto e Bancas
17h-18h: Oficina de Media alternativos
19-21h: Oficina de Samba (1a parte)
20h – Jantar, concerto, filmes, e bancas
22h - Videos do ClownArmy
.
.
Segunda dia 8.
.10h - pequeno-almoço
10.30h -11.30h: Oficina de Novas formas de Protesto
11.30h -13.30h: Oficina de Samba (2a parte)
13.30h: - Almoço, bancas,
Tarde aberta a conversas espontâneas
.

Sistema judicial norte-americano persiste em assassinar Mumia Abu - Jamal


Sistema judicial norte-americano persiste em assassinar Mumia ...


A procuradora distrital de Filadélfia, Lynne Abraham (equivalente a procuradora do ministério público) pediu ao Supremo Tribunal dos EUA que voltasse a impôr a pena de morte a Mumia Abu-Jamal.

Se esse pedido for aceite, isso pode significar a EXECUÇÂO imediata de Mumia, sem qualquer nova audiência ou julgamento, e apesar da montanha de novas provas que têm surgido em defesa da inocência de Mumia. Entretanto, o advogado de Mumia anunciou que iria também entregar no Supremo Tribunal um pedido de um novo julgamento. Este pedido tem de dar entrada até 19 de Dezembro. Este novo pedido tem por base o racismo que existiu na selecção de jurados no julgamento original e nas falsas indicações da procuradoria aos jurados na fase de decisão da culpa. São essencialmente os mesmos argumentos já usados (e negados) perante o Tribunal de Recurso do 3º Circuito de Filadélfia.


Não podemos deixar que Mumia seja assassinado!

Em defesa de Mumia, o dia 6 de Dezembro vai ser assinalado como Dia Internacional de Solidariedade com Mumia Abu-Jamal! Apelamos a todos os amantes da justiça e da liberdade que cerrem fileiras em defesa de Mumia Abu-Jamal.


Multipliquemos as iniciativas de divulgação desta causa!


NOVO DOCUMENTÁRIO SOBRE MUMIA

.

.Um novo documentário britânico, “In Prison My Whole Life” ("Na Prisão Toda a Minha Vida"), sobre a vida de Mumia foi exibido novamente nos Estados Unidos.

O documentário já tinha estreado nos EUA no Festival Sundance em Janeiro e foi agora exibido no Festival Urbanworld de Nova Iorque a 11 e 13 de Setembro e depois na Conferência CR10 (Resistência Crítica 10 anos) em Oakland, Califórnia, a 26 de Setembro.

O documentário já tinha estado nos Festivais de Cinema de Londres e de Roma em 2007.

O documentário relata a história de William Francome, que nasceu no dia em Mumia foi preso. A sua mâe costuma dizer-lhe que cada aniversário que ele tinha era mais um ano passado por Mumia na prisão. Com o conhecido actor britânico Colin Firth como produtor executivo, "In Prison My Whole Life" foi realizado por Marc Evans e produzido por Livia Giuggioli Firth e Nick Goodwin Self. O filme inclui entrevistas com personalidades como Alice Walker, Angela Davis, Noam Chomsky, Amy Goodman, Ramona Africa, e músicos como Mos Def, Snoop Dogg e Steve Earle.

A Amnistia Internacional incluiu o filme na sua campanha internacional pela abolição da pena de morte. O doumentário mostra as agora famosas fotografias da cena do crime tiradas a 9 de Dezembro de 1981 e que> apenas foram redescobertas recentemente pelo autor alemão Michael Schiffmann, que as publicou no seu novo livro. Também inclui uma entrevista com o irmão de Abu-Jamal, Billy Cook, que estava no local depois do polícia Faulkner ter mandado parar o seu carro. É a primeira entrevista gravada de Cook e este nega a versão da acusação de que acertou na cara de Faulkner, supostamente provocando assim o espancamento que recebeu do polícia. Cook mostra as cicatrizes que ainda hoje tem na cabeça e diz: “Eles prenderam-me por o ter atacado, mas eu nunca pus a mão nele. Só estava a tentar proteger-me. Nunca acertei nele. Nunca acertei nele.”

Cook diz que> depois de ter sido violentamente espancado com a lanterna do polícia, Faulkner “foi meio vulgar e grosseiro. E se bem me lembro acrescentou a meio um> palavrão racista... ‘Volta para o carro, preto´.”


.

Um trailer do documentário está disponível em




DIA DE SOLIDARIEDADE INTERNACIONAL COM MUMIA


O dia 6 de Dezembro foi denominado Dia de Solidariedade Internacional com Mumia Abu-Jamal. Estão marcadas acções em todo o mundo, em particular> por todos os EUA, a maior das quais será uma> concentração em Filadélfia frente à procuradoria distrital (o equivalente ao ministério público e que se tem destacado numa criminosa perseguição a Mumia). Daremos mais novidades à medida que as formos obtendo.



.SNOOP DOGG E OS MASSIVE ATTACK GRAVAM MÚSICA DE HOMENAGEM A MUMIA


O rapper norte-americano Snoop Dogg e o músico 3D do> grupo britânico de trip-hop Massive Attack (MA)> juntaram-se para gravar uma música de apoio a> Mumia, "Calling Mumia".

Os músicos fizeram a gravação sob o nome de "100 Suns" e surgem no novo> documentário "In Prison My Whole Life" sobre a vida> de Mumia, antes e depois da sua prisão por um crime> que não cometeu.

Um excerto da música diz:

"A forma como agora vivo é para educar e inspirar as crianças

/ e dar-lhes mais que erva e cerveja. /

Tenho muito para dizer /

porque não é divertido> estar-se preso."


A música está disponível no site> dos MA,

.

.NOVO LIVRO SOBRE MUMIA


Um novo livro de denúncia da farsa que foi o> julgamento e a condenação de Mumia Abu-Jamal foi> publicado em Maio passado nos EUA.

O livro, The Framing of Mumia Abul- Jamal, foi escrito por J. Patrick O'Connor, que defende que o verdadeiro atirador no caso da morte do polícia Faulkner foi Kenneth Freeman, e mostra como Mumia foi claramente tramado pela polícia, devido à sua actividade política, tanto como membro dos Panteras Negras como> mais tarde como jornalista que denunciava a actuação> racista da polícia de Filadélfia.



COMENTÁRIO DE MUMIA SOBRE A VITÓRIA DE OBAMA "(...) Mas o que é que ela significa? Não podemos> negar o seu valor simbólico. Em milhões de lares> negros, a sua fotografia será colocada ao lado das> de Martin, John F. Kennedy e de uma empaledecida> pintura de Jesus. (...) Mas para além do símbolo há> a substância. E substantivamente, alguns académicos> definem Obama como pouco diferente dos seus> antecessores. Apesar disso, os símbolos são uma> coisa poderosa. Por vezes têm uma vida própria.> Podem vir a significar algo mais do que pretendiam à> primeira vista. Foi feita História. Veremos que tipo> de história será. (...)"

>>> 23 de Novembro de 2008> Colectivo Mumia Abu-Jamal>>



Luta dxs Presxs gregos: Fim da Greve de fome...




Depois de 18 dias e uma participação de 10.000 presos e presas.
Segundo as declarações do ministro da justiça da Grécia Sotiris Jatzigakis, a reforma penitenciária que se discutirá no parlamento nas próximas semanas, permitirá a libertação de 4000 presxs, até Abril de 2009.
Aqui fica o comunicado da comissão de presxs em luta :

Comunicado da comissão de presxs em luta (Grécia)
Iniciámos a nossa luta há 18 dias.
Dez mil presos e presas, com jejuns e posteriormente com as greves de fome, lutamos contra a situação penitenciária e a indiferença do Ministério da Justiça.
.
A partir de amanhã, 6ª-feira 21 de Novembro, xs presxs de todas as prisões do país declaramos que suspendemos as mobilizações, pondo fim às greves de fome .
.
A reforma legal que o governo está a apresentar no parlamento trata de algumas das nossas reivindicações.
.
O ministro tem de materializar as saus promessas quanto à libertação imediata do número de presxs que anunciou e, ao mesmo tempo, avançar com as medidas e iniciativas que englobam a totalidade das nossas reivindicações. Nós xs presxs, vemos esta reforma legal como um primeiro passo, resultado das nossas lutas e da solidariedade da sociedade; No entanto, não nos cobre, não dá solução aos nossos problemas principais.
.
Com a nossa luta reivindicamos sobretudo a nossa dignidade. Esta dignidade não a oferecemos a nenhum ministro nem a nenhum guarda. Não toleraremos nem um abuso, nem uma transferência vingativa, nem um castigo disciplinar. Estamos de pé e vamo-nos manter de pé. Exigimos a abolição total das 4/5 partes de vários tipos de penas, a abolição da soma das penas disciplinarese a ampliação
de todo o tipo de acesso a precárias (saídas de alguns dias da cadeia) e terceiro grau (regime semi-aberto) para todxs xs presxs. Além disso, exigimos que as declarações generalistas do ministro da justiça sobre a melhoria das condições penitenciárias (abolição dos centros de internamento de menores, funcionamento de centros especializados para toxicodependentes, etc) sejam certificadas com leis nos próximos três meses.
.
Para acabar, muitos agradecimentos aop movimento solidário, aos/às lutadorxs, a cada entidade, partido e meio de comunicação que nos apoia da maneira que escolhe e declaramos que a luta contra toda a lixeira humana e pelo cumprimento de todas as nossas reivindicações continua.
.
.
.
Comissão de presxs panhelénica
.Alexandros Kola
Abdel Jalim Fataj
Rania Djabar
Dani Karabulea
Vaggelis Palis.
.
.
5ª-feira, 20 de Novembro de 2008
http://www.alasbarricadas.org/noticias/?q=node/9116


portugal: Alastrando a solidariedade

Na sexta-feira, dia 14 de Nov., às 11h da manhã distribuímos 200 flyers tamanho A4 em frente e em redor do edifício da Secção Económica e Comercial da Embaixada Grega, no centro de Lisboa, deixando também alguns dentro do edifício. Os flyers continham um breve texto introdutório à luta dos presos, algumas das suas exigências e uma cronologia dos acontecimentos até à data. Além disso, incluia também o seguinte texto:


A prisão está em todo o lado, em toda a nossa vida. Constantemente somos observados, controlados, identificados, escutados... ela é o polícia, a câmara de vigilância, o tribunal, o juíz, a esquadra, e toda a nossa realidade diária de interacções forçadas... ela é o medo de sermos o que somos, de dizermos o que sentimos, de fazermos o que gostaríamos de fazer... ela é a miséria quotidiana, persegue-nos na nossa memória, é uma ameaça permanente...
A prisão é também aquele edifício isolado, onde só estão os condenados e os carrascos... é o cerco de onde não podemos sair, é os guardas que nos controlam e torturam, é o nosso corpo nas mãos do Estado... ela é as paredes que nos fecham e que nos escondem, que nos afastam durante anos... ela é o sítio onde tudo nos é retirado...
A prisão é, ao mesmo tempo, uma ideia e um edifício. Mas sempre uma realidade.
Na Grécia ou em qualquer outro lugar, a luta por parte dos presos é a única forma de enfrentarem e combaterem a realidade a que são obrigados. Aceitar a prisão é apenas possível por meio de todos os métodos de alienação que o Estado emprega, dentro e fora das prisões, e que criam um quotidiano de medo e resignação. O que se passa hoje nas prisões Gregas nasceu da determinação de indivíduos sequestrados pelo Estado, e embora nós estejamos no exterior das paredes, isso não significa que sejamos livres. Essa liberdade temos nós de a conquistar.
Na Grécia, em Portugal ou em qualquer outro país, nenhuma condição de vida dentro da prisão será humana, pois isso é impossível dentro de uma prisão. Não existe reforma de qualquer natureza que possa, de alguma maneira, humanizar um local onde estamos presos; onde tudo, à excepção da dignidade, nos é retirado.
Mas a dignidade pertencerá sempre aos que lutam, aos insurgentes, aos indivíduos.
Há inúmeros modos através dos quais podemos dar a nossa solidariedade e alastrar a revolta, atacando o controlo e os controladores deste mundo; o primeiro passo é decidir de que lado estamos.
Posto isto, a única exigência que temos é a destruição de todas as prisões e desta sociedade-prisão!

SOLIDARIEDADE COM OS PRESOS EM LUTA NA GRÉCIA!

anarquistas"

***
Domingo à noite anarquistas atacaram a embaixada grega em Lisboa (Portugal) com bolas de tinta preta.
Saudações aos companheiros.
Solidariedade com os presos em luta!

sábado, 22 de novembro de 2008

27º ANIVERSÁRIO da TERRA VIVA !


27º ANIVERSÁRIO da TERRA VIVA !
FESTA de BENEFICÊNCIA “S.O.S.TERRA VIVA
Sábado,29 de Novembro -2008

23.30 h. (oficialmente…)
DIAPOSITIVOS DAS NOSSAS ACTIVIDADES – VÍDEOS DE TEMAS ECOLÓGICOS – MÚSICA AO VIVO* – ESTÓRIAS CONTADAS – JANTAR VEGETARIANO“CAMPISTA” – “POÇÃO MÁGICA” – MÚSICA DO MUNDO – LEITURA DE POEMAS ECOLÓGICOS/SOCIAIS – CONVÍVIO – MESA DE DIVULGAÇÃO/INSCRIÇÃO NOS NOSSOS WOKSHOPS,GRUPOS DE TREINO E CÍRCULOS DE ESTUDOS - etc.


Pois é…A “crise” maldita também nos toca!...Apesar de 27 anos depois –então como “grupo ecológico” , agora como “associação de ecologia social” – continuarmos com um leque muito diversificado de actividades (intervenção e projectos sociais, eco-escotismo, campos de férias juvenis, informática, passeios pedestres, formação de animadores juvenis, workshops diversos, círculos de estudos, biblioteca …) , continuamos a ter ciclicamente problemas para fazer face às despesas de manutenção do espaço da associação (renda, água, luz, telefone, internet….)que vamos mantendo no Centro Histórico do Porto desde há 5 anos.

E como neste momento somos todos voluntári@s, nem podemos continuar a fazer o que ao tempo dos projectos subsidiados fazíamos (“Escolhas” 1ª e 2ª geração, etc.) que era tirarmos parte dos ordenados de alguns de nós para pagar despesas da nossa sede…Agora, alguns vamos tirando aos subsídios de desemprego…e…não dá!

Daí que tenhamos agora resolvido avançar nesta iniciativa, dirigindo-nos a quant@s conhecem de alguma forma- ou desejem conhecer melhor- a nossa actividade (de inserção social, de sensibilização à Natureza -ainda existente, de difusão de ideias libertárias e alternativas, etc.) no sentido de nos auxiliarem a continuarmos, participando nesta iniciativa. Se ela resultar, apontamos para a sua realização, no mínimo bimensalmente!

Mas, sem dúvida, vemos nela também uma oportunidade para divulgar as nossas iniciativas e alargar o nosso número de associad@s, não concorrendo com o espaço de nenhuma outra colectividade ou associação mas sim complementando as suas outras iniciativas, nomeadamente no campo da sensibilização sócio-ambiental e no do estímulo à auto-formação sócio-política e à intervenção social /”cívica” de base .


Contando já à priori com a participação neste evento do cantor de intervenção TINO FLORES e do grupo de musica popular marroquina da associação imigrante “ESSALAM” –entre outras “surpresas”- solicitamos-vos que divulguem esta iniciativa e que nos enviem as inscrições (aqui em anexo e numeradas) devidamente preenchidas, para o JANTAR VEGO-CAMPISTA (2,50) da “FESTA DE BENEFICÊNCIA S.O.S.TERRA VIVA” (20.30 h.sábado,29/11-na nossa sede) e seus montantes ATÉ 25 DE NOVEMBRO. Para o resto, a entrada é livre, funcionando o nosso bar e as mesas de divulgação como outros meios para arrecadar os fundos necessários à nossa actividade.

quinta-feira, 20 de novembro de 2008

21 de Novembro, 21h30 - SESSÃO de INFORMAÇÃO - Imigração e activismo social - Porto

SESSÃO de INFORMAÇÃO
IMIGRAÇÃO E ACTIVISMO SOCIAL
21/11/2008 (sexta)21.30 h
No“Menta Couscous Marroquino”- Rua do Breiner, 248 -Porto


Com apresentação do documentário BAB SEBTA (Portas de Ceuta)
de Frederico Lobo ( sobre a situação dos imigrantes sociais que tentam chegar à Europa )
e informações sobre o processo em curso contra activistas de
associações de apoio aos imigrantes


INICIATIVA CONJUNTA DE:
ESSALAM-Associação dos imigrantes magrebinos e de amizade luso-árabe
e
TERRA VIVA!
Associação de Ecologia Social

quarta-feira, 19 de novembro de 2008

A greve de fome dxs presxs gregos continua... morreram já 2 presxs !!!

Acção de Solidariedade para com xs presxs, Atenas


La huelga de hambre en las prisiones griegas continúa, y se intensifican las acciones de apoyo y solidaridad
.
Mie, 19/11/2008 - 11:17 — ALB Noticias
- agência de notícias anarquistas-ana-
.
ALB Noticias
.
.
Miles de presos en huelga de hambre en las prisiones griegas prosiguen con su protesta de redución dente la población reclusa del país y reclamar mejora de las condiciones de detención, mejores programas de salud, entre otras reivindicaciones.
.
La huelga de hambre ya dura quince días, y el número de encarcelados huelguistas en las prisiones aumentan día a día. Se estima que hoy, día 18, hay 7 mil presos en huelga de hambre. Hay 12.000 reclusos en las 24 prisiones griegas.
.
Relatos que llegan de Grecia informan de la muerte de dos presos y uno en estado de coma, no obstante el Ministerio de Justicia afirma que esas muertes no están relacionadas con la huelga de hambre. 20 presos kurdos en Trikala cosieron sus bocas com reafirmación en la huelga de hambre. Otros amenazan con hacer lo mismo.
.
El portavoz del Ministerio de la Justicia griega, Haris Nikolakakis, frente a la prensa local, reconoció que esta movilización se trata de una "amplitud y de una organización sin precedente" en Grecia.
.
.
Desde el inicio del movimiento huelguista, el 3 de noviembre, más de 100 acciones de apoyo y solidaridad a los presos en lucha sucedieron a lo largo y ancho del territorio griego, desde manifestaciones callejeras, concentraciones frente a cárceles, ataques incendiarios a bancos, embajadas, supermercados, coches de lujo, corporaciones multinacionales, sedes de periódicos, ocupaciones de radios, pintadas, entre otras acciones directas, y siempre con la participación activa de grupos e individualidades anarquistas.
.
.
El día 13, jueves, cerca de dos mil personas, la mayoría anarquistas, participó por la noche en una manifestación por el centro de Atenas para apoyar al movimiento de lxs presxs. El centro de la capital fue aislado por las fuerzas policiales que acabaron enfrentándose a los manifestantes.
.
.
El día anterior, alrededor de 400 anarquistas, en motocicletas y coches, banderas negras, rojas y negras, y cohetes, cortaron las calles más céntricas de Atenas en dirección a la prisión de Diavata, donde, tras el alambre de espino de la prisión, cantaron lemas en apoyo a los prisioneros, que respondieron con gritos y aullidos.
.
.
Las muestras de apoyo y solidaridad comienzan a extenderse más allá de las fronteras griegas.
.
.
La noche del domingo, día 9 de noviembre, en Londres, Gran Bretaña, la embajada griega fue pintada con eslogans en solidaridad con los presos griegos y algunas ventanas rebentadas. Esa acción también fue realizada en solidaridad con los 3 activistas de liberación animal detenidos recientemente en Suecia, involucradxs en una campaña para cerrar una tienda que comercia con pieles de animales.
.
.
El Lunes 10 noviembre, nuevamente en Londres, la embajada griega fue atacada otra vez por un grupo de anarquistas, que pintaron el muro de este órgano diplomático con frases anticarcelarias, las ventanas también fueron rebentadas, y los neumáticos de los coches diplomáticos que estaban estacionadas en la embajada pinchados.
.
.
El 13 de noviembre, jueves, el Ministro griego de Economía, G. El Alogoskoufis, fue blanco de un puñado de huevos tirados por un grupo de anarquistas en Londres, durante una charla en la Escuela de Economía de Londres. El grupo también esparció diversos folletos por el local y soltó gritos y cánticos en solidaridad con los presos griegos. El mismo día, el Ministro griego fue atacado otra vez en el aeropuerto por un grupo de anarquistas en solidaridad con los prisioneros griegos. Esta vez le arrojaron yogures.
.
.
La noche del día 16 de noviembre, domingo, un grupo de anarquistas atacó con "bombas de pintura" la embajada griega en Lisboa, Portugal, en una acción de solidaridad con los presos griegos en lucha.
.
.
También el día 16, domingo, un grupo anarquista promovió un acto de solidaridad con los presos griegos en Brixton, Reino Unido, frente a la prisión de esa ciudad.
.
El 17 de noviembre, Lunes, en Nicósia, Chipre, el grupo de Acción Autónoma Anti-autoritaria organizó una manifestación frente a la embajada griega en solidaridad con la lucha de los presos en huelga de hambre.
.
El CMI Atenas viene destacando y cubriendo este movimiento, allí es posible encontrar centenares de imágenes de las protestas: http://athens.indymedia.org/
.
> Vídeo de una cámara de vigilancia siendo sabotada en medio de una avenida movida y una gran franja de solidaridad a los detenidos desplegada en un edificio griego:
http://www.youtube.com/watch?v=AVcWKGWPto8
.
> Vídeo de los anarquistas con motos y coches hasta una prisión griega:
http://www.youtube.com/watch?v=oeit24dB2iU

.

terça-feira, 18 de novembro de 2008

Morte de Ruben Prieto

O conhecido militante anarquista uruguaio Ruben Prieto faleceu domingo passado em Caracas, vítima de enfarte, quando participava na Feira do Livro Anarquista desta cidade. Ruben Prieto era um dos principais animadores da Comunidad del Sur, fundada em meados da década de 50, e da Editorial Nordan.
Para conhecer a história e as propostas da Comunidad del Sur visitar www.ecocomunidad.org.uy

Acções de Solidariedade para com xs presxs gregos e de todo o mundo!!


Friday, Nov.14, at 11h in the morning we distributed 200 A4-size leaflets in front and around the building of the Economy and Comerce Section of the Greek Embassy, in the center of
Lisbon, leaving some of them inside the building also. The leaflets included a small introdutory text to the prisoners' struggle, a few of their demands, and a chronology of the events until that day. Besides, it also included the following text:


" Prison is everywhere, in all our life. Constantly we are watched, controlled, identified, listened… it is the cop, the surveillance camera, the court, the judge, the police station, and our entire reality of forced interactions… it is the fear of being what we are, of saying what we feel, of doing what we would like to do… it is the everyday misery, it stalks us in our memory, it is a permanent threat….

Prison is also that isolate building, where only the convicted and the hangmen are… it is the siege from where we can not leave, it is the guards that control and torture us, it is our body in the hands of the state…it is the walls that enclose and hide us, that push us away for years… it is the place where everything is taken away from us…

Prison is, at the same time, an idea and a building. But always a reality.

In Greece, like everywhere else, the struggle of the prisoners is the only way to face and fight the reality to which they are forced. To accept prison is only possible due to all the means of alienation the state uses, inside and outside the prisons, and that create a daily life of fear and resignation. What's happening today in the Greek prisons has born from the determination of individuals kidnapped by the state, and although we are outside the walls, that doesn't mean we're free. That freedom, we have to conquer it.

In Greece, in Portugal, and anywhere else, no condition of life inside a prison will ever be human, because that's impossible inside a prison. There's no reform of whatever nature that can, in any way, humanize this place where we're locked up; where everything, with the exception of dignity, is taken away from us.

But dignity will always belong to those who struggle, to the insurgents, to the individuals.

There are countless ways with which to show our solidarity and spread the revolt, attacking control and the controllers of this world; the first step is to decide on which side we are.

Having said this, the only "demand" we have is the destruction of every prison and of this prison-society!

SOLIDARITY WITH THE PRISONERS IN STRUGGLE IN GREECE!

anarchists"

-----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Na sexta-feira, dia 14 de Nov., às 11h da manhã distribuímos 200 flyers tamanho A4 em frente e em redor do edifício da Secção Económica e Comercial da Embaixada Grega, no centro de Lisboa, deixando também alguns dentro do edifício. Os flyers continham um breve texto introdutório à luta dos presos, algumas das suas exigências e uma cronologia dos acontecimentos até à data. Além disso, incluia também o seguinte texto:

" A prisão está em todo o lado, em toda a nossa vida. Constantemente somos observados, controlados, identificados, escutados... ela é o polícia, a câmara de vigilância, o tribunal, o juíz, a esquadra, e toda a nossa realidade diária de interacções forçadas... ela é o medo de sermos o que somos, de dizermos o que sentimos, de fazermos o que gostaríamos de fazer... ela é a miséria quotidiana, persegue-nos na nossa memória, é uma ameaça permanente...

A prisão é também aquele edifício isolado, onde só estão os condenados e os carrascos... é o cerco de onde não podemos sair, é os guardas que nos controlam e torturam, é o nosso corpo nas mãos do Estado... ela é as paredes que nos fecham e que nos escondem, que nos afastam durante anos... ela é o sítio onde tudo nos é retirado...

A prisão é, ao mesmo tempo, uma ideia e um edifício. Mas sempre uma realidade.

Na Grécia ou em qualquer outro lugar, a luta por parte dos presos é a única forma de enfrentarem e combaterem a realidade a que são obrigados. Aceitar a prisão é apenas possível por meio de todos os métodos de alienação que o Estado emprega, dentro e fora das prisões, e que criam um quotidiano de medo e resignação. O que se passa hoje nas prisões Gregas nasceu da determinação de indivíduos sequestrados pelo Estado, e embora nós estejamos no exterior das paredes, isso não significa que sejamos livres. Essa liberdade temos nós de a conquistar.

Na Grécia, em Portugal ou em qualquer outro país, nenhuma condição de vida dentro da prisão será humana, pois isso é impossível dentro de uma prisão. Não existe reforma de qualquer natureza que possa, de alguma maneira, humanizar um local onde estamos presos; onde tudo, à excepção da dignidade, nos é retirado.

Mas a dignidade pertencerá sempre aos que lutam, aos insurgentes, aos indivíduos.

Há inúmeros modos através dos quais podemos dar a nossa solidariedade e alastrar a revolta, atacando o controlo e os controladores deste mundo; o primeiro passo é decidir de que lado estamos.

Posto isto, a única exigência que temos é a destruição de todas as prisões e desta sociedade-prisão!

SOLIDARIEDADE COM OS PRESOS EM LUTA NA GRÉCIA!

segunda-feira, 17 de novembro de 2008

22 de Novembro - Lançamento da publicação Pica Miolos - Casa Viva - Porto


http://picamiolos-casaviva.blogspot.com/

19 de Novembro - Projecção de Bab Sebta - Forúm Municipal Castro Verde - Castro Verde


Projecção de "Bab Sebta" no dia 19 no Fórum Municipal de Castro Verde (organização Câmara Municipal de Castro Verde) às 21.30.



Os realizadores, Pedro Pinho e Frederico e Lobo, percorreram quatro cidades no norte de África e recolheram testemunhos de imigrantes que percorreram milhares de quilómetros até às portas de Ceuta, com o objectivo de concretizar o sonho de entrar na Europa.

"Bab Septa" significa "A porta de Ceuta", que é o ponto de chegada de milhares de imigrantes africanos rumo à Europa.
Os dois realizadores visitaram Marrocos em 2005, quando as cenas de violência eram notícia em Ceuta, e aí nasceu a ideia de regressar para fazer o documentário.

“Nós não atravessamos fronteiras, as fronteiras atravessam-se entre nós”, é a frases de abertura dum documentário que ouve relatos de gente que persiste no sonho de chegar à Europa, mesmo depois de sucessivas detenções e deportações junto à fronteira, seja pela polícia espanhola ou marroquina.Nas palavras dos autores este filme "parte em contracorrente a este fluxo dirigindo-se de Norte para Sul em busca dos migrantes que atravessam o deserto – heróis nómadas dos tempos que correm, em luta contra uma abstracção: a ideia de fronteira".

O documentário "Bab Septa", foi o vencedor da competição nacional do DocLisboa de 2008, tendo já antes sido premiado em 2006 no Concurso de Pesquisa e Desenvolvimento do ICAM (Instituto de Cinema Audovisual e Multimedia), e o prémio "Marseille Esperance" do Festival Internacional de Documentário de Marselha.

domingo, 16 de novembro de 2008

Terrorismo de Estado: França e as leis anti-terrorismo!!!




ALICE INFORMA:


No dia 8 de Novembro 2008 foram detectados vários actos de sabotagem às linhas de TGV em França. Pequenos ganchos de ferro foram colocados nas linhas de alta tensão de alimentação dos comboios o que, à passagem a alta velocidade, provocou cortes de energia e atrasos em vários trajectos.Dois dias depois a polícia francesa, numa operação dirigida directamente pela Ministra do Interior, encontra os "responsáveis" e prende ao abrigo da lei anti-terrorista 20 pessoas ligadas ao "movimento anarco-autónomo".

Numa mega operação policial a aldeia de Tarmac (cerca de 300 habitantes) foi cercada e os habitantes de uma quinta de agricultura biológica - que operavam também a mercearia da aldeia - foram presos. Descobre-se então que a polícia os vigiava de perto desde Abril deste ano. As razões apontadas publicamente para esta perseguição foram:



O facto de este grupo de pessoas ter publicado um livro de análise social e teoria política radical assinado sob o nome "Comité Invisível" - L'Insurrection qui vient;


.
O facto de uma dessas pessoas - apontada como líder (provavelmente por ser o mais velho, 33 anos) ter estado presente numa reunião anarquista em Nova York e em seguida em Tessalónica, na Grécia. Este delito apontado pelo FBI aos serviços secretos franceses é que motivoua perseguição;

.
O facto dos grupos "autónomos-anarquistas" estarem cada vez mais presentes nas manifestações e contestações sociais dos últimos anos: contra a eleição de Sarkozy, contra o CPE, e em diversas manifestações estudantis.



.Alguns dos detidos estiveram no passado envolvidos com o grupo Tiqqun, um colectivo autor de uma revista e de vários livros que nos últimos anos foi sendo considerado como herdeiro de uma larga tradição de pensamento crítico francês que começa com os Letristas e com a Internacional Situacionista. Entre os colaboradores dos Tiqqun está o filósofo/escritor/actor Franco-Tunisino Mehdi Belhaj Kacem que esteve recentemente em Portugal a convite da Fundação Calouste Gulbenkian. Giorgio Agamben também é dos mais conhecidos interlocutores do grupo, tendo escrito alguns livros em resposta às teses dos Tiqqun.

Dito de outro modo, a polícia francesa vigiou e perseguiu pessoas com afinidades políticas radicais pelo simples facto de terem publicado as suas ideias, assistido a encontros políticos e participado em manifestações de rua.


Até aqui nada de novo.


Na noite de 8 de Novembro a polícia identificou dois destes suspeitos junto a uma linha de comboio. Daí que as conclusões tenham sido tão fáceis de tirar e que as prisões tenham ocorrido com tanta celeridade.O sucedido em França ocorre num contexto de tácticas repressivas que têm vindo a ser aplicadas de modo recorrente um pouco por todo o espaço europeu: detenções extremamente mediáticas e arbitrárias de sujeitos envolvidos em movimentos e conflitos sociais, que depois ao chegar à barra dos tribunais caem por falta de provas.

Trata-se de uma metodologia de intimidação e de perseguição política que visa desactivar perspectivas antagonistas através de uma constante pressãolegal, impondo o medo de uma detenção arbitrária e utilizando os processos burocráticos penais enquanto muro contra o qual se esmaga quem o estado considera perigoso.



O que se passa em França é mais um sinal do carácter autoritário e repressivo dos regimes que se instalaram por toda a Europa (Itália, França, Áustria, Alemanha, etc.) e uma prova de que a perseguição política e aquilo a que chamávamos fascismo não são papões da História.




http://www.lekti-ecriture.com/editeurs/L-insurrection-qui-vient.html
http://fr.wikipedia.org/wiki/Tiqqun
http://www.softtargetsjournal.com/v21/tiqqun.php

http://notesforthecomingcommunity.blogspot.com/2008/04/tiqqun-de-la-noche.html

Caderno «Luta Social» Nº3 / «Luta Social» Review #3 / Cahier «Luta Social» nº3






Companheiros/as,

Com a preciosa ajuda e colaboração de vários/as militantes, conseguimos fazer mais um caderno «Luta Social»!
Espero que gostem, baixem para o vosso disco rígido, reenviem para os vossos contactos, imprimam em papel e distribuam por todo o lado!!! Podem obtê- lo em:www.luta-social.org ( Caderno nº3) ou http://www.scribd.com/doc/7988240/Cad-3


Sumário do Caderno «Luta Social» Nº3:

- EDITORIAL

- Comités Syndicalistes Révolutionaires

- Sindicalismo e Movimentos Sociais

- CARTA ABERTA A TODOS OS TRABALHADORES

- POR UM NOVO ASSOCIATIVISMO AMBIENTAL


Solidariedade,
do Colectivo «Luta Social»



Comrades,

With the precious help and collaboration from various militants, we were able to make another «Luta Social» review!
.
I hope you enjoy it, download it to your hard disc, forward it to your contacts, print it and distribute it all around!!!You can obtain it in pdf format from our web site, in the opening menu, at the right side or downloading it from:.
http://www.scribd.com/doc/7988240/Cad-3

Caderno «Luta Social» Nº3 Summary:

- EDITORIAL
.- Revolutionary Syndicalist Comitees

- Unions and Social Movements
.- Open Letter to All the Workers
.- Towards a New Environmental Association Practice


.
Solidarity,

from «Luta Social» Collectiv)

--
.
Colectivo Anti-Autoritário e Anti-Capitalista

de Luta de Classes, baseado em Portugal
www.luta-social.org



Camarades,

.
.
Avec l'aide précieuse et la collaboration de plusieurs militant/es, nous avons réussi à faire un nouveau cahier «Luta Social»!

.J'espère que vous l'aimiez, que vous le gardez, le re-envoyez à vos contacts, l'imprimiez en papier et le distribuez partout!!!Vous pouvez l'obtenir en format pdf à partir de notre site internet, au menu d'ouverture, à droite, ou ici:
http://www.scribd.com/doc/7988240/Cad-3



.Sommaire du Cahier «Luta Social» Nº3:

- EDITORIAL
- Comités Syndicalistes Révolutionaires
- Syndicalisme et Mouvements Sociaux
- Lettre Ouverte à Tous les Travailleurs
- Pour un Nouveau Associativisme de Défense de l'Environment

.Solidarité
(du Collectif «Luta Social»)

--
.
.
Colectivo Anti-Autoritário e Anti-Capitalista

de Luta de Classes, baseado em Portugal
www.luta-social.org

quinta-feira, 13 de novembro de 2008

CONCERTOS na KYLÄKANCRA, 23/11


CONCERTOS, dia 23 de Novembro, Domingo
pelas 20h30
com
La Casa Fantom (punk krust da noruega)
Sem Talento (punk de santo andre)
I.A.C. (anarko punk de montemor)
Insulto (banda da casa)

aparece e divulga!

quarta-feira, 12 de novembro de 2008

Biotério em construção na Azambuja - NÃO AOS TESTES COM ANIMAIS!!!




"Vamos criar um dos melhores biotérios do mundo, obedecendo acritérios rigorosos e tecnicamente muito avançados.


Vão ser criados animais para serem utilizados para fazer avançar a ciência e para bemda saúde das pessoas", disse à agência Lusa Leonor Beleza, salientandoque o projecto inclui a participação da Fundação Calouste Gulbenkian ea Universidade de Lisboa.


"Existem outros biotérios na Europa com um grande nível de exigência mas este será reconhecido pelos elevados parâmetros científicos etécnicos muito avançados", frisou.

Segundo adiantou a presidente da Fundação Champalimaud, o programa está praticamente pronto e, dentro de alguns meses, vão começar na Azambuja as obras de construção do equipamento.

O biotério é um projecto privado que vai ser apoiado por fundos comunitários no âmbito do programa de acção aprovado pelo Governo para as regiões do Oeste e da Lezíria e que prevê compensações pela deslocalização da construção do aeroporto na zona da Ota.


De acordo com o programa de acção, o biotério custará 36 milhões deeuros dos quais 9 milhões são de privados, enquanto que o restante é suportado por financiamento comunitário.

O biotério terá uma capacidade estimada para 20 a 25 mil gaiolas, serão fornecidas estirpes de animais de laboratório a universidades, institutos de investigação e empresas farmacêuticas de todo o país eparticularmente na área da grande Lisboa, refere o programa de acção.


No centro de investigação serão criados novos modelos de doenças, nomeadamente doenças cerebrais e oncológicas. Leonor Beleza, que falava à margem da cerimónia de abertura do ano escolar da Fundação para o Desenvolvimento Comunitário de Alverca acrescentou que o equipamento pretende também responder às necessidades da própria fundação e servir (exportação) outros centros de investigação em Portugal e no estrangeiro.


O biotério deverá criar entre 80 a 100 novos postos de trabalho e será construído em terrenos cedidos pela Câmara da Azambuja.




(...) NO COMMENTS (...)

terça-feira, 11 de novembro de 2008

13 de Novembro - Manifestação de Solidariedade para com a luta dos presos gregos e de todo o mundo... Atenas, Propylea, às 18h !






The vast majority of prisoners (almost 100%) in all 21 prisons around Greece are either on a hunger strike or boycotting prison food.

Also, thousands of prisoners have already signed petitions with their demands, despite the terrorism of the prison authorities that have already reacted with violent mass transfers and night invasions inside cells,

.
Next Thursday 13/11 a demonstration in solidarity to the prisoners in struggle will take place in central Athens, Propylea at 18:00.

.
In Thessaloniki, 40 Ekklisies district, a foreign mission vehicle was set on fire "to salute the prisoners struggle" by the Cells of Aggresive Solidarity to Prisoners.

Even a soccer fans club (PAOK-GATE 4) circulated an announcement of their support to the prisoners struggle.

Sources: Athens.indymedia.org - http://www.indy.gr/ - http://www.keli.gr/

Novas noticias sobre a luta nas prisões gregas!

Updates (for the following few days in the future there are updates just for the things announced yet):

5/11 Collective official form of complaints sent to the authorities undersigned by most of the prisoners at Diavata prison, outside Thessaloniki

6/11 Attack with fire at ruling party offices in Thessaloniki in solidarity to prisoners struggle, by the Cells of Aggresive Solidarity to Prisoners (more info at http://directactiongr.blogspot.com/)

7/11 Solidarity microphonics gathering in the market area of Chania, Crete

7/11 98fm self-managed radio station of Athens, transmits prisoners demands and solidarity speach

7/11 Prison guards try to intimidate prisoners in Ioannina and Diavata prisons, some transfers and night invasions in cells continue.

7/11 Solidarity demonstration in Serres

7/11 Solidarity demonstration in Lamia

7/11 2 mainstream radio stations are occupied by anarchists transmitting prisoners demands and solidarity speach in Thessaloniki and Lamia

7/11 Attack with paints against the council of state in Athens in solidarity to prisoners (more info at http://directactiongr.blogspot.com/)

8/11 Solidarity demonstration in Volos

9/11 Three kurdish prisoners in Trikala, mainland Greece, sew their mouths in hunger strike!

9/11 Solidarity demonstration in Lamia, afterwards police stops and harasses the demonstrators but leaves them free without charges few hours later and after lawers and friends arrived at the police station.

10/11 A left wing initiative organizes a solidarity concert in Athens centre

11/11 Solidarity demonstration in Thessaloniki centre

.
.
..13/11 Solidarity demonstration in Athens centre

.
.
More than 1.500 (out of 13.000) are in strict hunger strike, this number keeps growing
Close to 100% of all prisoners are boycotting prison meals
around all 21 prisons across Greece

You can see a map with all greek prisons here http://kratoumenoi.ath.cx/node/207

News are posted regularly in greek at http://athens.indymedia.org/ and http://www.indy.gr/

A translation of prisoners demands collected by committees of prisoners around all prisons can be found at http://anarcores.blogspot.com/

Across the country there are spread communiques and stickers, flyers and posters in solidarity to the prisoners in struggle.
If anyone organizes something in solidarity or even prints out any material, text etc, we would be glad to know about it afterwards, so feel comfortable to send us, or if you are in or near London UK, you can come in touch with our comrades at july2399@hotmail.com

ON 3 NOVEMBER 2008 NEW WAVE OF PRISONERS MOBILIZATIONS STARTS WITH A COLLECTIVE HUNGER STRIKE AROUND THE WHOLE COUNTRYPRISONERS DEMANDS

We the prisoners of the hell called with an euphemism: prisons of the greek state, tired with the fake promisses of all justice ministers in the last 10 years, to ameliorate prison conditions and the penal code and the penal justice code, decided to move forcefully, in order to claim our rightful demands.
.
WE DEMAND:

1.
Abolish disciplinary charges. Modify the Penitentiary Code's articles 68, 69, 70, 71. In any case, the disciplinary charges must be removed after the are served, and not accumulated nor taken into consideration when it comes to days off, work, education and discharge under conditions after they are served.
.
2.
Reduction of the sentence limit for discharge under conditions, from 3/5 to the 3/7 of the sentence time.
Immediate abolishment of the anti-constitutonal treaty that increased up to the 4/5 of crimes related to drugs.

.
3. Once and for all 3 year reduction of all prices, to make easier the relieve of over-crowding of prisons. NO to the new panoptic prisons, built isolated away from the cities social tissue.

4. Abolish the juuvenile prisons. Adopt open structure to take care of and protect the teenagers and youth.

5. Reduction of sentence limit of 25 years of continuous detention. Reduction of the minimum detention time to be discharged under conditions to 12 years from 16 that it is today, according to european legislature.

6. Immediate and without exceptions application of days-off, suspensions, and other benefits of the law, reduction of the minimal sentence time limits. Increase the number of days-off to 60 for those that have a right to 5 days and to 96 for those with a right to 8.

7. To end the over-use of pre-trial detentions and reduce the time limit to 12 months.8. The para-justice racket is known for its hysteria of the last 8 years, leading to revengeful killing sentences. We as for proportionate sentences and wide application of the measure of suspension and discharge under conditions.

9. Full, permanent and 24 hour medical treatment and respect to the patients. Creation and improvement of adequate hygiene spaces (baths and toilets). Immediate integration of the Korydallos prison psychiatric and medical clinic to the National Health System, with new aisles for women and juveniles, that lack now. Immediate transportation of patients to public hospitals with ambulances and not in police vehicles, tied up with their hands behind their back.

10. To be provided the right in beneficial work payment, education, second chance schools, technical workshops and participation in diverse similar programms, to all prisoners proportionate and without any discrimination. To be given educational days-off, for all prisoners, that meet with the criteria and terms to study outside prison and for all levels of education and technical skills learning. Substancial amplification of withdrawal projects to all prisons.

11. Abolishion of the prison no-go zone. Free access for social and political institutions, Lawers Associations, Hellenic Medical Association and EINAP, organizations for human rights, NGOs and international organizations. Free circulation of political and educative press, with no exceptions.

12. Alternative forms of detention, amplification of agricultural prisons and of the institution of semi-free sentence as well as community service.

13. Amplification of the institution of free visits in humain conditions with respect to the personality and dignity of the prisoners and the visitors. Private place to meet with our companion.14. Work and access to creative activities for all of us. Beneficial account of days of work in the sentence.

15. Right to selection of serving the sentence in their country of origin, for the prisoners from other countries, once and if they wish.

16. Humain transport conditions with improvement of the room in the preposterous transportation means of the greek police. More stops, improvement of the detention room in the miserable "Metagogon" transfer prison and faster transfer to the destination prisons.


DEMANDS OF THE WOMEN PRISONERS AT ELEONAS, THIVA PRISON:


On the occasion of the third-world life conditions inside this establishment but also our treatment by the totality of the ministry of justice services, and more precisely:

Inexistant medical-pharmaceutical supply.

Few, to even inexistant hygiene supply (without any right to a private purchase).

Inexistant basic hygiene (no warm water).

Inexistant social services and care.

Preposterous food, because of luck of supplies. Even first need stuff is an unknown word here. Racist treatment of the prisoners when it comes to days-off and suspensions.

Injust treatment of sentence accounts for suspension proportionate to the offence (2/5, 3/5 etc).

Vast delays when it comes to bringing the case to the courthouse and especially the court of appeals.
.
The peculiar stiffness of the persons judging us, despite the recommendations they have received.
.
.
The inexistant second chance we are all waiting for and most of us have a right on it, but are never given.
.
We decided to abstain from prison food commons from 03/11/2008 until proportionate measures are taken in regards to all the above.
.
We expect your understanding.
.
.
ALSO CHECK OUT A LETTER FROM OUR COMRADE POLYS GEORGIADIS ON THE HUNGER STRIKE ISSUE
http://halastor.blogspot.com/2008/10/blog-post_30.html

FOR FURTHER INFO, U CAN CHECK ATHENS.INDYMEDIA.ORG OR POSSIBLY DIRECTACTIONGR.BLOGSPOT.COM

MAKE PLANS - GET BUISY!