domingo, 3 de janeiro de 2010

Celebrando o fim de ano no outro lado do charco...

# Duas sucursais bancárias sofrem explosões de baixa potência no Estado do México
# Bomba encontrada em Temuco é similar às reivindicadas por grupos anarquistas

Dois artefactos de baixa potência explodiram na madrugada de hoje na área de caixas multibanco de duas sucursais dos bancos BBVA Bancomer y Banamex, situadas no Estado de México sem deixar vítimas mas sim alguns danos materiais "mínimos", informou hoje a "Agencia de Seguridad Estatal".

As explosões registraram-se às 3.20 e às 3.35 hora local (9.20 e 9.35 GMT) "e danificaram as montras da entrada para os multibancos assim como uma das portas de acesso principal" à área das caixas-multibanco, acrescenta a nota.

Os ataques ocurreram em Toluca e Metepec, respectivamente, em entidades bancarias que são filiais do grupo espanhol BBVA e do estado-unidense Citigroup, indicou a nota informativa da ASE, que investiga os casos.

As autoridades suspeitam que as explosões foram causadas "por foguetes de fabricação caseira ainda que as autoridades ministeriais e peritos na matéria estão a analisar os resíduos a fim de conhecer o material com o qual foram fabricados", informou num comunicado a ASE, que coordena a Polícia do estado.

No caso da sucursal de BBVA Bancomer, foram encontradas no local mais de uma dezena de faixas, entre elas uma com a frase 'Viva Europa Comunista".

Na de Banamex, os materiais utilizados, aparentemente foguetes "de fabricación casera", "provocaram danos nos vidros" ao mesmo tempo que a zona da caixa multibanco se encontrava intacta.

Os ataques acontecem em áreas urbanas perto do Distrito Federal, onde no passado mês de Setembro, ocurreram seis explosões em bancos e lojas da capital, pelas quais foi detido um indivíduo supostamente vinculado a grupos anarquistas.
o estudante da Universidade Autónoma Metropolitana (UAM) Ramsés Villarreal, ía ser acusado de terrorismo pelo Ministério Público mexicano como presunto autor de algum dos seis ataques com bombas caseiras a sucursais bancarias, mas ficou em libaerdade porque o juíz considerou que a sua detenção foi ilegal.

Villarreal afirmou que durante a sua detenção foi vítima de tortura psicológica por parte de polícias federais e a sua mulher, Elizabeth Ángel Palmillas, negou que o seu esposo fosse membro de alguma organização política.
*****************************************

Detonou bomba na "Seremi de Justicia" em Temuco

Rosende explicou que se trata de um artefacto de "fabricação caseira".
"Já aparecerá algum grupo anarquista" que se implique no facto, assinalou.

TEMUCO.- O procurador geral de Temuco, Sergio Moya, especificou que a bomba encontrada à algumas horas no jardim de entrada do edifício da Seremi de Justiça dessa cidade é de características simelhantes a outras três que foram detonadas nessa cidade durante este ano e às que se instalaram en Santiago nos últimos tempos, que têm sido atribuídas a grupos anarquistas. Explicou também que o artefacto explosivo está confeccionado com um extintor de automóvel de um kilo, cheio com pólvora negra e conta com um detonador industrial.
No passado, em casos de artefactos explosivos semelhantes, foi detido um anarquista pro-mapuche que antes de colocar a bomba enviou um mail desde un cybercafé a uma radio local, anunciando o atentado.
Geralmente estes atentados têm coincidido com a detenção de activistas mapuches que atentam contra bens de agricultores e de empresas florestais.
Neste caso, no entanto, no sítio da explosão não foram encontrados panfletos, pintadas, nem houve qualquer comunicado sobre a acção.
A respeito disto, Rosende declarou que "não temos ainda informação de reivindicação alguma, mas já aparecerá algum nome de fantasia de algum grupo anarquista contra a sociedade, contra o mundo, contra tudo, que são os que têm feito o mesmo no passado".