sexta-feira, 8 de maio de 2009

Carrinhas da PSP atingidas por “cocktails molotov” no Bairro da Bela Vista

Desacatos após funeral de jovem morto a tiro.
Notícia retirada da imprensa do capital:
Um grupo de pessoas lançou dois "cocktails molotov" contra carrinhas do Corpo de Intervenção da PSP que se encontra de prevenção no Bairro da Bela Vista, em Setúbal. O incidente ocorreu pouco depois das 23h00 de ontem, tendo sido apreendidos mais quatro engenhos do mesmo tipo, noticiou a agência Lusa.



Um grupo de pessoas lançou dois "cocktails molotov" contra carrinhas do Corpo de Intervenção da PSP que se encontra de prevenção no Bairro da Bela Vista, em Setúbal. O incidente ocorreu pouco depois das 23h00 de ontem, tendo sido apreendidos mais quatro engenhos do mesmo tipo, noticiou a agência Lusa.

Dezenas de pessoas concentraram-se ontem no Bairro da Bela Vista. Durante a tarde, apedrejaram a esquadra e a PSP acabou por disparar quatro tiros para o ar. Os desacatos aconteceram pouco depois do funeral de um jovem morto a tiro pela GNR.

O jovem de 20 anos,natural da Bela Vista, foi atingido, na semana passada, com um tiro na nuca durante uma perseguição policial depois de ter participado no assalto à caixa multibanco do Hospital Particular do Algarve. À tarde, dezenas de pessoas que compareceram no funeral “concentraram-se junto à esquadra da PSP e começaram a insultar os agentes policiais”, explicaram os moradores que testemunharam o incidente.

A PSP acabou por disparar quatro balas de borracha para o ar “com o intuito de fazer dispersar a multidão”, contou ao PÚBLICO um agente.

A Direcção Nacional da PSP admitiu que, de facto, disparou quatro tiros para “repor a ordem e acalmar os ânimos.

Três equipas do corpo de intervenção da PSP e mais quatro de intervenção rápida foram chamadas. E foi estabelecido um perímetro de segurança. Ao princípio da madrugada, a PSP mantinha no local um dispositivo policial reforçado junto à esquadra da Bela Vista.O lançamento dos dois "cocktails molotov" contra carrinhas da polícia não provocou danos.

Um incidente semelhante aconteceu há sete anos quando um jovem daquele bairro foi morto pela PSP. Um agente que na altura esteve no local explica que, à semelhança do que hoje aconteceu, “a esquadra foi apedrejada e os agentes insultados” tendo vivido alguns momentos “de pânico”.