quarta-feira, 6 de maio de 2009

Acções directas num Primeiro de Maio fora das tradicionais marchas de trabalhadores.

Nesta última sexta-feira (Primeiro de Maio), grupos anarquistas vestidos de “ninjas” atacaram simultaneamente diversos alvos capitalistas em duas cidades dos Estados Unidos.
Ninguém foi preso.

Eis o que disse a grande imprensa estadunidense:
"Dúzias de vândalos atacaram a praça Union Square na última sexta-feira (1) à noite, despedaçando diversas janelas nalgumas das mais amáveis lojas da cidade. A Rua Grant foi golpeada fortemente, com sete lojas sendo danificadas. Algumas outras lojas nas ruas adjacentes também foram atacadas, incluindo a loja de departamento Macy. De acordo com a polícia e testemunhas, um grupo de aproximadamente 50 manifestantes, acredita-se serem anarquistas, arremessaram ao redor do lugar do ataque notas falsas de 100 dólares, atiraram bombas de tinta, e quebraram muitas janelas. Eles estavam execrando o capitalismo. A polícia e as testemunhas disseram que todos eles estavam vestidos de preto, escondendo seus rostos com bandanas pretas e muitos deles estavam vestindo perucas.

Algumas das lojas que foram vandalizadas: Debeers, Longchamp, Prada, Armani, Tumi, Guess e Montblanc. Os gerentes das lojas disseram que com a economia do jeito que está indo, esta é a última coisa que precisavam estar lidando. Até agora, não houve nenhum preso.
A polícia planeja fornecer segurança noturna enquanto estas lojas trabalham para arrumar as coisas."
"Grupo vestido com roupas estilo ninja vandaliza a área comercial leste Um grupo de 20 a 30 pessoas, vestidas com trajes e máscaras estilo ninjas pretos, vandalizou a área comercial na sexta-feira (1) à noite, causando milhares de dólares em danos ao quebrar janelas, disse a polícia no sábado. “Eles estavam gritando “Cavaleiros Pretos”, disse o tenente da polícia de Milwaukee, Milan Stojkovic. Aparentemente este é o nome no qual o grupo se autodenomina, e talvez eles estejam envolvidos em mais dois ou três outros atos de vandalismo que ocorreram nos últimos anos, disse o tenente da Polícia, Michael Robertson. As janelas foram quebradas no US Bank, Whole Foods, Qdoba e Bruegger's, aproximadamente às 11 da noite da sexta-feira.
A polícia está investigando para ver se o vandalismo está relacionado com uma manifestação, no entardecer da sexta-feira, realizada por um grupo auto-intitulado “anarquista” na região de Riverwest, disse a porta-voz da polícia, Anne Schwartz. Nenhuma detenção foi feita. Alguns actos foram gravados nas câmaras de segurança das empresas.

Lisboa- Vingança pela noite fora

Durante a noite de ontem, pelas ruas de lisboa, um grupo de anarquistas continuou os protestos - não apenas do 1º de Maio, mas de luta constante - contra o capitalismo. O resultado foi: quatro bancos atacados com bolas de tinta, cinco caixas multibanco inutilizadas, um ecoponto incendiado e fizeram-se diversas pintadas.


Galiza- uma participação diferente na marcha

Este 1 de maio, a xente do GAS, Caleidoskopio, CS A Formiga e Servizo de Información Social de Coia, xunto con algunhas compas da Comisión de Denuncia de Galiza decidimos participar na mani da CXT e CUT levando unha faixa co lema “Encadeadas ao traballo, Contra a explotación laboral nas prisións” a idea era entre outras visibilizar a explotación laboral que se produce tamén nas cadeas, ademais de denunciar a súa propia existencia, reclamar dereitos para as reclusas etc.
Ademais algunhas iamos con monos brancos con raias e encadeadas a unha bola de “precariedade”, “represión” e “exclusión”.


Grécia- Primeiro de Maio, centenas de anarquistas nas ruas de Atenas

Em passeata, aproximadamente 1000 manifestantes participaram hoje (1) do protesto anarquista de Primeiro de Maio nas ruas de Atenas. A pequena multidão circulou por várias ruas da capital helênica. Agências bancárias, lojas de luxo, caixas automáticos e câmeras de vigilância foram danificadas. Alguns carros queimados. Durante todo o ato os manifestantes foram acompanhados de perto por várias centenas de agentes da polícia anti-motim equipados com capacetes e uniformes de proteção. Próximo do Politécnico de Atenas o protesto terminou numa batalha campal envolvendo centenas de anarquistas e a polícia grega, que lançou contra os manifestantes granadas de gás lacrimogêneo, que revidaram com cocktails molotov, pedras e paus. Pelo menos uma viatura policial foi incendiada. Ninguém foi preso