quarta-feira, 30 de abril de 2008

1º de Maio anarco-sindicalista


No 1º de Maio, sera realizado um encontro a partir das 14h junto ao metro da Praça da Figueira, em Lisboa, para marcar a data numa perspectiva anarco-sindicalista. Haverá faixas, bandeiras e distribuição de material informativo.
Apareçam!

terça-feira, 29 de abril de 2008

Sessão de informação e debate sobre os OGM na COSA


No dia 3 de Maio pelas 19:00h vai ter lugar uma sessão de informação e debate sobre a luta contra os transgénicos e também projecção de vídeos sobre a acção de Silves e os OGM em geral.

Haverá também jantar (21:30), bar e bailarico pela noite.

Cosa: Rua Latino Coelho nº2 (Setúbal, junto à estação dos autocarros)
email: cosanossa@gmail.com

segunda-feira, 28 de abril de 2008

Marcha Global pela Marijuana - 3 de Maio - Porto


Pedido de Desculpa (...)


retirado de Pasquim2007
http://pasquim2007.wordpress.com

Festival de Cinema Independente - 24 de Abril a 4 de Maio - Lisboa







Comunicado lido na Manifestação Anti-Autoritária - Lisboa




_EM ABRIL, VENDEM-NOS MIL MENTIRAS!

DIZEM QUE O POVO É QUE MAIS ORDENA, DIZEM QUE SOMOS LIVRES,DIZEM QUE DEVEMOS CELEBRAR O 25 DE ABRIL DE 1974 COMO O DIA EMQUE A HISTÓRIA ACABOU, O DIA QUE NOS DEU TUDO O QUE PRECISAMOS, O DIA EM QUE POUSÁMOS AS ARMAS E ABDICAMOS DELUTAR POIS JÁ TUDO FOI CONQUISTADO...



_HOJE, 34 ANOS DEPOIS, AQUELES QUE FALAM SÃO SILENCIADOS,AQUELES QUE RESISTEM SÃO ANIQUILADOS, AQUELES QUE SE ERGUEMSÃO PERSEGUIDOS, CRIMINALIZADOS, DETIDOS E HUMILHADOS.


_A CLASSE POLITICA SENTA-SE NAS SUAS CADEIRAS DO PODER, E OBSERVA SEM NUNCA SUJAR AS MÃOS COMO UMA VEZ MAIS CONSEGUEM REINAR PACIFICAMENTE, DESDE QUE NOS DIVIDAM.


E ASSIM DIVIDEM-NOS ENTRE RICOS E POBRES, ENTRE NACIONAIS E ESTRANGEIROS, DIVIDEM-NOS PELA COR DE PELE, PELA ORIENTAÇÃO SEXUAL, PELO GÉNERO, OU PELA ESPÉCIE.


_E ENTRE NÓS, SEMPRE NO MEIO, SEMPRE A ESPALHAR A VIOLÊNCIA,SEMPRE PRONTOS A OBEDECER Á VOZ DO DONO, ESTÃO AQUELES QUE DECIDIRAM VENDER-SE A TROCO DE UMAS MIGALHAS.COM AS SUAS FARDAS, OS SEUS CACETETES E A FRUSTRAÇÃO DE SEREM PESSOAS SEM VALORES NEM DIGNIDADE, A POLÍCIA EXISTE CADA VEZ MAIS PARA PROTEGER AQUELES QUE TUDO TÊM DOS OUTROS A QUEMTUDO LHES ROUBARAM.


_AS PRISÕES ESTÃO CHEIAS DE POBRES, AS ESQUADRAS ESTÃO CHEIAS DE SANGUE, AS RUAS ESTÃO CHEIAS DE MEDO E DESCONFIANÇA. AS VOSSAS RUSGAS, AS VOSSAS IDENTIFICAÇÕES, AS VOSSAS CARGAS, A VOSSA VIGILÂNCIA E CONTROLE SÓ RESULTARÁ ENQUANTO NÓS O ACEITARMOS, ENQUANTO NÓS NOS CALARMOS, ENQUANTO PERMANECERMOS ISOLADOS, DESORGANIZADOS E AMEDRONTADOS.


NÃO NOS IMPORTA A VOSSA “LEGALIDADE” OU “ILEGALIDADE”, NÃO NOS IMPORTAM AS VOSSAS FRONTEIRAS, NÃO NOS IMPORTAM OS VOSSOS JUÍZOS DE VALOR: IMPORTA-NOS SIM A REBELDIA, A INSUBMISSÃO E A DIGNIDADE. NUNCA A LIBERDADE FOI DADA OU NEGOCIADA – FOI SEMPRE ARRANCADA PELA DETERMINAÇÃO DE QUEM QUER SER LIVRE.PSP, GNR, PJ, SIS, ASAE, SEF, CHIBOS, INFAMES, VIGILANTES, SEGURANÇAS, AUTORITÁRIOS...DE UMA VEZ POR TODAS DESAPAREÇAM DA NOSSA VIDA!!



CONTRA A REPRESSÃO POLICIALCONTINUAMOS E CONTINUAREMOS NA RUA!
Videos da Manifestação Antiautoritária :

Manifestação Antiautoritária 25 de Abril - Lisboa







Lisboa] Manifestação Anti-Autoritária
Nota Prévia:
Antes de mais é necessário referir que este blog <http://www.contraocapital.blogspot.com> não passa disso, um blog... Não é por ter sido postada a convocatória da manifestação que quem aqui escreve passa a ser da organização da mesma. Aliás, esta convocatória foi publicada em inúmeros sites e blogs.
.É também engraçado o conjunto de movimentos que referiram estar ligados a esta manifestação. Principalmente o Stop the Lisboa Treaty, que é uma iniciativa de cidadãos alemães que se dedicam a publicar textos a exigir um referendo para a Constituição Europeia e também a denunciar algumas desigualdades sociais na Europa. Não se percebe qual a ligação que os senhores jornalistas encontraram com esta manifestação.
Outra coisa foi terem referido os "Ultras", que toda a gente associa rapidamente a hooligans violentos desejosos de causar o caos e a destruição. Não se entende porque não escreveram o nome completo da organização, que é Ultras Contra o Racismo que já há muitos anos lutam pela erradicação do racismo nos estádios de futebol.
Depois, a Agência Lusa afirma ter tentado contactar os organizadores da manifestação para esclarecimentos._ Que se saiba ninguém foi contactado_Subtilmente os senhores jornalistas tentaram denegrir esta manifestação dando a entender que é apenas um grupo de miúdos rebeldes que não tem respeito por ninguém...De notar também a insistência destes senhores jornalistas em tentar fotografar os manifestantes de cara destapada, mesmo depois de os mesmos terem feito perceber que não queriam ser fotografados.
..Agora a manifestação propriamente dita:

Quando a manifestação partiu da Praça da Figueira havia, notoriamente, alguma tensão no ar. Houve mesmo uma conversa mais acesa com um jornalista que apesar dos avisos estava a insistir na captação de fotos aos manifestantes.
A polícia andava sempre nas redondezas e sabíamos que estavam à espera de um deslize nosso para poder intervir. A dianteira da manifestação estava a avançar rapidamente o que fez com que o corpo da mesma ficasse um pouco disperso. Circulava a informação (ou boato) de que a polícia poderia tentar partir a manifestação ao meio. Por essa razão o pessoal que seguía na frente começou a andar mais lentamente para assim o grupo fosse mais compacto e por conseguinte mais difícil de dividir.Ao chegar ao Rossio houve alguns atritos com o pessoal da Associação 25 de Abril como é aqui relatado:
_A concentração saiu da Praça da Figueira, passou pelo Largo de São Domingos e fez-se notar ao entrar no Rossio, com os tambores, buzinas e coros a inquietarem os membros da Associação 25 de Abril, que fazia naquela altura as suas intervenções num palco montado frente ao Teatro Nacional Dona Maria II."Vieram provocar uma manifestação organizada e a polícia sem fazer nada. Eu já fiz um 25 de Abril, agora tenho que fazer outro?", queixou-se um dos elementos da associação, que preferiu não se identificar.
_De referir que nós não estávamos ali para provocar os senhores... Nem estávamos ali para festejar o 25 de Abril... Estávamos na rua para protestar contra o estado deste nosso mundo (falando de maneira generalista), contra o capitalismo, fascismo, e contra o cada vez mais enervante comodismo das pessoas...Ouvimos algumas bocas, mas enfim, a manifestação continuou...Ao chegar à Rua Augusta andámos muito devagar devido às esplanadas dos cafés. De referir o episódio do "homem-estátua" que, muito bem disposto, interrompeu a sua actuação para dar passagem ao grupo, a ele obrigado!Depois, circulou outro aviso (ou boato) de que a polícia estaria pronta a intervir e que essa intervenção seria feita pelos lados para assim poder dividir o pessoal. O lado que estava mais exposto era o direito, mas tendo em conta a união do pessoal é bastante provável que se tivesse conseguído resistir em caso de ataque. Mas felizmente, isso não se verificou e a manifestação chegou pacificamente ao Terreiro do Paço onde forma queimadas as notas de 500 e foi lido mais um comunicado.De referir que os senhores jornalistas só conseguíram perceber algumas palavras dos dois comunicados que foram lidos que foram: "Chibos infames", "Sangue nas ruas", "continuamos e continuaremos nas ruas"... Mais uma vez é uma mensagem violenta que passam, mas já vamos estando habituados...Depois de algum tempo no Terreiro do Paço a manifestação começou a desmobilizar e de referir que os vários grupos que se iam retirando eram seguídos pela polícia que aproveitava para tirar fotos a quem já estava de cara destapada. Mesmo depois de desmobilizada houve agentes à paisana que tentaram criar confusão para justificar uma intervenção dos seus colegas robocops. felizmente toda a gente percebeu o que se passava e ninguém perdeu a compostura.Foi talvez um dia perdido para os repórteres sedentos de sangue e de lojas partidas e de gente assaltada...
.Mas para nós foi um dia em cheio.

Paz Saúde e Anarquia

quinta-feira, 24 de abril de 2008

quarta-feira, 23 de abril de 2008

Exposição de Trabalhos Artísticos na B.O.E.S.G - Lisboa

.......................................Fotografia de Martin G. 2008

A B.O.E.S.G_ (Biblioteca dos Operários e Empregados da Sociedade Geral) _ está aberta a propostas de artistas plásticos que queiram expor os seus trabalhos (pintura, escultura, fotografia, vídeo, etc.).
Os interessados devem enviar, por mail, o curriculo/nota biográfica, identificação e fotografias de trabalhos.

domingo, 20 de abril de 2008

Visita guiada por ex-presos às instalações da ex-Pide no Porto



No próximo dia 26 de Abril( 15.30 h)será realizada mais uma Visita ao edifício da EX-PIDE, no Porto, guiada por ex-presos políticos que aí foram encarcerados, humilhados e torturados.


Com esta acção, o Núcleo do Porto do movimento cívico "Não Apaguem a Memória!" pretende contribuir para o reforço da nossa identidade democrática, uma identidade que atravesse o tempo, que salvaguarde a continuidade da memória histórica da resistência ao fascismo entre as gerações presentes e as que viveram um mundo passado.


Considera-se que é importante patrimonializar as memórias dos resistentes antifascistas através da transmissão dos seus valores às gerações mais jovens, reconstruindo elos entre o passado e o presente


O edificío da PIDE situa-se na Rua do Heroísmo, onde presentemente está instalado o Museu Militar



sábado, 19 de abril de 2008

Actividades_ Fim de Semana de Actividades em torno da Ocupação

..............Fachada da Casa Viva:
Estamos aqui para dizer que ocupação é libertação de espaços,deverá ser uma das principais estratégias da luta por um mundo mais justo









..Acção contra os carros: estacionamento
para bicicletas e convívio














Piquenique nas Virtudes













Ocupação do Jardim das Virtudes




dias de acção e ocupação
fim-de-semana, 11 a 13 abril
De 11 a 13 de Abril, a CasaViva abre-se a todas as pessoas e colectivos que nela queiram viver por esses dias e partilhar perspectivas e acções relacionadas com a questão da ocupação, aproveitando os dias europeus de acção de apoio a squats e espaços autónomos lançados pela rede Squat.net.
Os temas serão: centros sociais, okupas e espaços libertados, o mau uso da terra e a sua propriedade, a apropriação de espaços públicos pelo mundo dos negócios através da privatização, da especulação e da publicidade. E tudo o mais que te lembrares até lá.
O desafio é o habitual. Traz ideias de acção (e tudo o que elas precisarem para serem levadas a efeito) e disponibilidade para participar nas acções pensadas por outras pessoas. Vem preparado para seres co-gestor(a) do espaço.
Aparece na sexta-feira, para se combinarem e coordenarem as acções de sábado, batalha com as outras pessoas nesse dia e fica para domingo, onde esperamos ter tempo para conversar calmamente.
Durante esse tempo, haverá, decerto, café, cerveja, pequeno-almoço e jantar e, muito provavelmente, concertos, filmes e festa.
april2008.squat

sexta-feira, 18 de abril de 2008

Tertúlia sobre o direito à habitação




SÁBADO 19 DE ABRIL, 22h00 NA CASA VIVA,COM ENTRADA LIVRE.

quinta-feira, 17 de abril de 2008

Mercado do Bolhão - Porto -- URGENTE



A Câmara do Porto, recebeu hoje, 16 de Abril, a garantia bancária da TranCroNe, num total e absoluto desrespeito para com o Património, como indica a notícia da Lusa.

Também num total desrespeito pela vontade expressa pelos cidadãos na PETIÇÃO, entregue na Assembleia da República (que reuniou 50.000 assinaturas) e a acção judicial em curso!

A Cidade, caso se observe este HORROR, perderá um dos maiores simbolos de arquitectura portuense, aliás, como aconteceu em 1951, com o Palácio de Cristal.

Caso se verifique este Horrendo acto, os seus autores, claramente identificados, terão de ser responsabilizados pela perda deste tão emblemático Património.


retirado de: Impedir s Demolição do Mercado do Bolhão




Porto, 16 Abr (Lusa)


(...) A empresa holandesa TranCroNe (TCN), que venceu o concurso público para a reabilitação do Mercado do Bolhão, entregou hoje na Câmara do Porto uma garantia bancária de 2,5 milhões de euros, referente àquela obra.(...)


Câmara do Porto assinou a 23 de Janeiro um contrato com a TCN, onde se prevê que a autarquia ceda o edifício do Mercado do Bolhão em direito de superfície por 50 anos, recebendo um milhão de euros no momento da emissão da licença de construção e uma percentagem dos resultados de exploração a partir do décimo ano.

Dois dias antes da assinatura, a proposta dos holandeses foi aprovada pela Assembleia Municipal, numa votação disputada (27 votos a favor e 26 contra).
A TCN pretende que o Mercado do Bolhão mantenha a traça original e que a área comercial tradicional seja complementada com novas lojas, metade das quais de cultura, lazer e restauração. (...)





...Horror! Horror!Horror!,

John Conrad__ " Heart of Darkness"

quarta-feira, 16 de abril de 2008

Segunda Audiência do Tribunal-Iraque


(Audiência Portuguesa do Tribunal Mundial sobre o Iraque)

Lisboa, 18 Abril, 21:30h, na Casa do Alentejo
Entrada livre

Assinalando os cinco anos da invasão do Iraque vai realizar-se uma nova Audiência do Tribunal-Iraque (Audiência Portuguesa do Tribunal Mundial sobre o Iraque).

Tal como na 1.ª Audiência realizada em Lisboa em Março 2005, o objectivo é proceder a uma avaliação dos cinco anos de ocupação no duplo aspecto, (i) das responsabilidades dos autores da agressão (os EUA e o Reino Unido) e (ii) da cumplicidade das autoridades portuguesas.

Esta avaliação terá a forma de uma Acusação, cuja formulação está a cargo do Dr Eduardo Maia Costa, juiz do Supremo Tribunal de Justiça. De novo, pretende reunir-se o grupo de Jurados que integrou a 1.ª Audiência ao qual será apresentada esta Acusação e uma proposta de resolução.

A Acusação, cuja versão definitiva será divulgada na sessão, debruça-se sobre as violações do direito, os crimes cometidos pelos ocupantes, a onda de restrição das garantias individuais que irradia dos EUA a pretexto da luta «antiterrorista», as prisões secretas e os voos da CIA, a resistência iraquiana.

A Audiência, com entrada livre, terá lugar em Lisboa, na Casa do Alentejo, no dia 18 de Abril, entre as 21h30 e as 24h, com a seguinte sequência de trabalhos:
. Apresentação da Acusação pelo Dr Eduardo Maia Costa;
. Testemunho da iraquiana Dra Eman Khamas, refugiada em Espanha, sobre a situação no Iraque;
. Testemunho do Dr Carlos Varea, coordenador do CEOSI – Campanha de Estado contra a Ocupação e pela Soberania do Iraque, Espanha, sobre as necessidades de apoio humanitário e as iniciativas da CEOSI;
. Testemunho do Tribunal-Iraque sobre a cumplicidade das autoridades portuguesas;
. Deliberação dos Jurados.

Contamos com a sua presença e o seu apoio.

A Comissão Organizadora do Tribunal-Iraque
Amílcar Sequeira, António Alves, Berta Macias, Cristina Meneses, Eduardo Maia Costa, Guadalupe Margarido, Helena Nascimento, João Mário Mascarenhas, José Mário Branco, Júlio Moreira, Manuel Monteiro, Manuel Raposo, Mário Tomé, Paulo Esperança.

terça-feira, 15 de abril de 2008

Convite para uma manifestação Antiautoritária contra a REPRESSÃO POLICIAL



Um ano depois do ataque policial em pleno Chiado no dia 25 de Abril de 2007, dois meses depois da carga policial no despejo do Grémio Lisbonense , perante os ataques continuados da polícia em Bairros Sociais e por todos os episódios de abuso e violência perpetrados pela repressão organizada do Estado, convocamos uma manifestação antiautoritária contra a repressão policial.Manifestamo-nos neste dia porque passaram 34 anos desde que uma pseudo-revolução substituiu um governo fascista por um governo que continua a controlar, a matar e a reprimir e cujos antecessores rapidamente se preocuparam em controlar o "descontrolo" das populações no pós 25 de Abril.A marcha dos tristes, que todos os anos comemora esta transição, não nos diz nada, pois não queremos celebrar o quotidiano policial nem a liberdade-de-centro-comercial. O sistema capitalista, na sua vertente democrática, leva-nos a pensar que não sabemos gerir as nossas vidas e que a polícia é uma realidade à qual não podemos fugir. Como se não bastasse vivermos num estado policial, querem que sejamos nós próprios os polícias das outras pessoas, de nós próprios e dos nossos vizinhos. A polícia, que todos os dias reprime e violenta, não serve a ninguém se não àqueles que lucram com a miséria de todos os outros, àqueles que nos oferecem uma vida controlada, que destroem os ecossistemas, que impõem fronteiras entre regiões, que nos roubam no trabalho, que nos dizem como devemos ser e que nos querem convencer que somos indivíduos, quando a nossa individualidade não passa de uma ilusão no leque de possibilidades que a sociedade de consumo nos deixa ter.

Assim, esta como qualquer outra data, serve para contestar este e qualquer governo pois, inevitavelmente, todos nos querem impor uma vida debaixo de câmaras de vigilância, fronteiras e polícias várias. Todos estes métodos de controlo e repressão são tendencialmente universais e à medida que o tempo passa achamos serem cada vez mais normais e sabemos serem também mais presentes.

Todos conseguimos resolver os nossos conflictos, pensar pelas nossas próprias cabeças, imaginar como realmente queremos que sejam as nossas vidas.

Apelamos à participação de todos aqueles que condenam a violência policial e os métodos que o capitalismo e o estado têm para nos controlar.


Praça da Figueira, Lisboa, 17:30h, 25 de Abril de 2008.

Escravatura na Sociedade Actual


Debate a realizar pela Tertúla Liberdade no dia 19 de Abril às 16h.

Local: Espaço PAR situado na Rua Padre Gregório Verdonk, nº 4 em Lisboa
(escadas junto ao Centro Comercial Novo Areeiro, perto da Rotunda, no lado oposto ao da Segurança Social).


Esta iniciativa integra-se no Festival Imigrarte 2008.

A Tertúlia da Liberdade promove, no próximo Sábado dia 19 de Abril pelas 16 horas, o debate «Escravatura na sociedade actual?».

A iniciativa pretende dar continuidade ao trabalho iniciado em Dezembro de 2007 com a realização do evento «200 anos de denúncia da escravatura».Apesar de terem passado já tantos anos sobre a primeira lei abolindo oficialmente a escravatura, promulgada pela Inglaterra em 1807, calcula-se que existam ainda cerca de 27 milhões de escravos no mundo.

O papel que Portugal assumiu neste tráfico contínua por discutir assim como suas consequências nas sociedades actuais e as novas formas de escravatura em desenvolvimento.


segunda-feira, 14 de abril de 2008


Festival ImigrArte

Convidamos-te a participar na segunda edição do

Festival IMIGRARTE

que vai realizar-se no fim de semana de

Abril dias 18-19 e 20 em vários espaços da cidade

Participa pelo valor da diversidade e da interacção entre culturas!
Vem gritar a tua mensagem!

procura-se :
artistas imigrantes ou portugueses, que queiram promover a interculturalidade: músicos, cantores, bailarinos, malabaristas, poetas, escritores, animadores, grupos do teatro, pintores, artesãos, fotógrafos, cozinheiros, etc...
**
Contacto:
Grupo “Interculturalidade” da Associação Solidariedade Imigrante
Rua da Madalena 8, 2º,
218870713,
solimigrante@gmail.com
http://www.lisboaintercultural.blogspot.com/



Concertos na Okupa KylaKancra ( Setúbal) _ 19 de Abril




...................FAZ TU MESM@!!

Programação do Centro de Cultura Libertária de Almada/ Cacilhas






................................. Abril-Maio 2008


19 Abril– 15h às 17h – Partilha de conhecimentos: Práticas de resistência, prevenção, primeiros socorros e trauma emocional).– Filme “Street Medic” de Luis Manriquez (em inglês).



– 20h – Jantar vegetariano.




26 de Abril


– 20h – Jantar vegetariano.




.3 de Maio– 16h – Filme: “Brad Will: uma noite mais nas Barricadas”, de Videohackers (em português), seguido de conversa sobre revoltas populares na América Latina.


– 20h – Jantar africano (vegetariano).




10 de Maio– 16h – Debate: “Anarco-sindicalismo, lutas sociais e possibilidades de resistência no campo laboral” – debate promovido pela secção portuguesa da Associação Internacional dos Trabalhadores.

– 20h – Jantar vermelho e negro (vegetariano).




17 de Maio– 16h – Workshop de serigrafia.


– 20h – Jantar vegetariano.





31 de Maio– 16h – Filme: “Democracy isnt’t build on demonstrators’ bodies” de Anarchists Against the Wall (em inglês), seguido de conversa sobre o conflito israelo-palestiniano.–


20h – Jantar vegetariano.





Centro de Cultura Libertária

Rua Cândido dos Reis, 121, 1º dto – Cacilhas – Almada


* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

Centro de Cultura Libertária Site: http://ccl.yoll.net/


Endereço postal: Apartado 40 / 2800-801 Almada (Portugal)
Sede: Rua Cândido do Reis, 121, 1º Dto - Cacilhas - Almada

Pica Miolos disponivel On-Line **



19 de Abril - Conversa/ Debate: A Precariedade_ "Contornos, experiências e respostas"


Amigos e amigas,

O grupo responsável pela organização do MayDay 2008 encontra-se a organizar conjuntamente com a Solidariedade Imigrante, um debate/conversa a decorrer no âmbito do Festival ImigrArte. O tema é a precariedade enquanto fenómeno social, cujos contornos determinam as mais variadas esferas da vida, não só o trabalho, mas também a educação, a habitação, a saúde, a sexualidade, o género, a cor da pele. Estas manifestam-se num processo de selecção social, em que uma pequeníssima parte é vencedora, enquanto a grande maioria é condenada a uma derrota que se eterniza no dia-a-dia.

Para tal, decidimos convidar vários indivíduos e associações a participar nesse debate/conversa, tentando assim reunir relatos das suas experiências enquanto pessoas que vivem a precariedade, mas que todos os dias tentam criar respostas a esse problema.

Não haverá mesa. Todas as pessoas que participarem serão convidadas especiais.

A conversa/debate irá decorrer dia 19 de Abril (sábado) pelas 17h na Crew Hassan (Rua das Portas de Stº Antão, 159; próximo do Coliseu).

.
Depois, à noite, o MayDay Lisboa 2008 organiza uma festa para a qual estão todos e todas convidadas, no Ateneu Comercial de Lisboa, mesmo ali ao lado.

Esperamos vê-los dia 19 e também dia 1de Maio na parada MayDay!!.



maydaylisboa@gmail.com
maydaylisboa.blogspot.com
http://groups.google.com/group/maydaylisboa

domingo, 13 de abril de 2008

....................sssssssSTOPOGM


O último relatório da Europol sobre as tendências do terrorismo, classifica a ceifagem do campo de milho transgénico em Silves como acto de terrorismo. Na França, Alemanha ou Reino Unido, este tipo de acções, muitas delas bastante mais radicais, decorrem de forma sistemática, mas não vêm classificadas neste relatório como actos terroristas. Neste momento estão também em curso acções de ocupação de campos de cultivo experimental de transgénicos na Alemanha.
.
.
O Rádio Clube Português fez uma reportagem sobre esta classificação no relatório da Europol. Nem o advogado de acusação consegue ver qualquer forma de terrorismo nesta acção. Um especialista em direito penal diz não ver qualquer relação entre a acção de Silves e actos terroristas.
É evidente o interesse que o governo português tem em esmagar a oposição aos transgénicos, ao classificar uma acção política pacífica e não violenta como acto de terrorismo (o relatório é elaborado a partir das contribuições das entidades responsáveis de cada país). Quando a democracia é fraca, a polícia, neste caso a Polícia Judiciária tem o terreno livre para colocar este tipo de disparates num relatório. Quem sofre somos todos aqueles que lutamos de uma forma ou outra por um mundo melhor, livre de transgénicos.
.
retirado de:
http://gaia.org.pt/

quinta-feira, 10 de abril de 2008

4º Ciclo Joaquina Dorado e Liberto Sarrau, organizado pelo Centro de Estudos Libertários







19 de Abril

–15 h -

Anarquismo hoy: volver a empezar – II - Suno Sarrau


.
.17 de Maio

– 15 h -

Anarchismo e politica. La revisione critica di Camillo Berneri. - Stefano d’Errico

Anarquismo organizado e insertado socialmente en Latinoamerica. - Jose Maria Olaizola




Estas sessões têm lugar na Associação dos Residentes de Telheiras (ART) – Rua Professor Mário Chicó, nº 5 – Loja (Rua do Correio) Telheiras – Lumiar – Lisboa



31 de Maio

– 15 h –

Germinal de Sousa
(1909-48) – Luís Garcia e Silva
(1948-68) – Eugénio Mota


7 de Junho

– 15 h –

Quando dizemos Participar, de que estamos a falar? – Isabel Vieira


21 de Junho

–15 h -

Cobaias Humanas: Testes ilegais de medicamentos – Sérgio Duarte




Estas últimas três sessões decorem na sede do Centro de Estudos Libertários / A Batalha – Azinhaga da Alagueza, Lote X, c/v – esq. – Olivais -Lisboa

quarta-feira, 9 de abril de 2008

M.A.S.A. "Movimento de Apoio ao Sem abrigo"


O M.A.S.A. é um Movimento constituído por gente que vive na Rua, gente que ainda quer ser gente.


Gente que sabe, melhor que qualquer politico, instituição ou associação, o que é ser Sem Abrigo.


O M.A.S.A. pretende, apoiar, ajudar e alojar o Sem abrigo, através do programa (C.A.S.A) " Criar Alojamento ao Sem Abrigo "


Pretendemos impedir a perda da esperança por uma vida digna. Impedir o cair dos sonhos indispensáveis por um futuro próspero e justo, de milhares de Homens, Mulheres e crianças que constituem a comunidade, Sem Abrigo.


Julgamos que a Exclusão Social deveria constituir o maior desafio das entidades competentes, na resolução do problema.


Os reflexos da Exclusão Social, manifestam-se pelo crescimento progressivo de seres humanos que diariamente chegam á Rua.


O M.A.S.A. surge de um conjunto de factores que nos obriga a gritar...


Basta!!!


Pretendemos entregar 2.500 assinaturas (mínimo) como forma de protesto "Governo Civil do Porto, Câmara Municipal do Porto" juntamente um caderno de medidas, que achamos serem medidas possíveis, na solução do problema.


Faremos uma entrega simbólica das assinaturas recolhidas, á Nª. Srª. de Fátima. (A fim, de pedir ajuda á força divina, já que os vivos nada fazem.)Partiremos da Av. dos Aliados em marcha silenciosa, no dia 1 de Maio com destino ao Santuário de Fátima.


O M.A.S.A existe, para que exista cada vez menos Sem Abrigo...!

http://www.masasemabrigo.blogspot.com/


terça-feira, 8 de abril de 2008

Festa de Solidariedade para com Grémio Lisbonense_ Ateneu Comercial de Lisboa


ERRATA: Onde se lê BELARMINO deve ler-se BLARMINO



Passaram dois meses desde que o Grémio ficou privado das suas instalações.

Foi apresentado um projecto cultural na CML, que por sinal foi muito bem aceite, trazendo de novo a esperança para a resolução do problema, mas a verdade é que continuamos cá fora, debaixo da ponte... digo arco!! Com as despesas mensais que não cessaram!
Para aqueles que acreditavam que sem espaço físico o Grémio tinha os dias contados... devem estar um pouco desapontados...!!

O GRÉMIO RESPIRA!!!!!!! COM A AJUDA DE TODOS... RESPIRA!!

Por não sermos os únicos a acreditar na importância do Grémio, e por haver mais gente que quer a associação no local que sempre foi e será o seu, vários artistas, músicos e amigos juntam-se, solidários com a causa, para uma festa de arromba no Ateneu Comercial de Lisboa.
APAREÇAM!!!

(IMPORTANTE: continuamos à espera que nos enviem mais fotos, mais registos do Grémio)



Descritivo:

Maio de 1968.

Em Paris anuncia-se o início de uma luta prolongada.

Quatro décadas depois, este colóquio internacional reúne um conjunto de reputados intelectuais cujas investigações permitiram voltar a olhar para 1968 nas suas mais variadas dimensões. Levando o debate mais além das repetidas alusões ao cariz geracional e estudantil da revolta, mapeando 1968 para lá das fronteiras da França, o colóquio confronta a importância de 1968 na emergência de novas subjectividades políticas, analisa a dimensão de luta de classes que atravessa o período e discute a persistência de Maio’68 nos conflitos políticos contemporâneos.






PROGRAMA


11 DE ABRIL



10h Maio no Mundo


Fernando Rosas

Teses sobre a geração dos anos 60 em Portugal e a questão da hegemonia


Gerd-Rainer Horn

Um conto das duas europas


Manuel Villaverde Cabral

Maio de '68 como revolução cultural



14h30 Ideias de Maio


Anselm Jappe

Maio de 68, do «assalto aos céus» ao capitalismo em rede. O papel dos situacionistas.


Daniel Bensaid

Como será possível pensar que se possa quebrar o ciclo vicioso (da dominação)


Judith Revel1968,

o fim do intelectual sartriano





12 DE ABRIL


10h Maio em Movimento


Maud Bracker

Participação, encontro, memória: os imigrantes e o Maio de 68


João Bernardo

Estudantes ou trabalhadores?


Franco Berardi (Bifo)68 e a génese do cognitariado



14h30 O Outro Movimento Operário



Xavier Vigna

As greves operárias em França em 1968


Yann Moulier Boutang

Maio de 68, herança por reclamar na divisão de perdidos e achados da História


John Holloway

1968 e a crise do trabalho abstracto



18h 1968 - 2008


Bruno Bosteels

A revolução da vergonha


François Cusset

Os embalsamadores e os coveiros



Retirado de:
Organização: Instituto Franco-Português Instituto de História Contemporânea Le monde diplomatique – edição portuguesa


Apoios: FCT Fábrica de Braço de Prata Goethe Institut AntígonaLugar: Institut Franco-Portugais
Morada: Avenida Luís Bívar, 91 / 1050-143 LisboaTel: (+351) 21 311 14 00
Site: http://www.ifp-lisboa.com

sexta-feira, 4 de abril de 2008

1º CICLO DE DEBATES - PORTO/BOLHÃO - PATRIMÓNIO HUMANO, ARQUITECTÓNICO, COMERCIAL E CULTURAL


Nos próximo dia 10 de Abril, irá decorrer o 1º Ciclo de Conferências, organizado pela Plataforma de Intervenção Cívica, sobre a gestão do Património da cidade do Porto e em particular sobre a do Mercado do Bolhão.
Esta iniciativa será a primeira de muitas outras que se seguirão e que poderá contribuir para reflexão do valor Patrimonial: Humano, Arquitectónico, Comercial e Cultural que a cidade do Porto possui.
Apareçam e divulguem, só numa atitude de diálogo a Cidade do Porto terá oportunidade de reflectir sobre diversas problemáticas.
O Movimento Cívico e Estudantil estará presente!


Mesa redonda com:

ANA CARIDADE, JORNALISTA ( moderadora)
JOAQUIM MASSENA, ARQUITECTO
JOSÉ EMÍDIO, ARTES PLÁSTICAS - PINTOR
MANUEL CORREIA FERNANDES, ARQUITECTO
RUI MOREIRA, ECONOMISTA


QUINTA-FEIRA- DIA 10 ABRIL
NO ORFEÃO DO PORTO (praça da batalha)18:30h-20:30h
PATRIMÓNIO COMERCIAL E CULTURAL

quarta-feira, 2 de abril de 2008

Centro Social da Mouraria (Lisboa) - Programa de Abril

.

GAIA - Grupo de Acção e Intervenção Ambiental
.
Travessa da Nazaré, 21, 2º
Lisboa, 1000-234