quinta-feira, 28 de fevereiro de 2008

Festa Gambling na COSA (Setúbal) - dia 1 de Março

Festa Gambling na Cosa, em Setúbal. Jantar benefit
Bingo, Mikado, damas, poker, xadrez, domino, Go, Dados, Bisca, sueca


Sábado, dia 1 de Março, a partir das 19h

djs e vjs, tudo e mais alguma coisa

Cosa: Rua Latino Coelho nº2 (junto à estação dos autocarros)
Setúbal

quarta-feira, 27 de fevereiro de 2008

CCA Gonçalves Correia - Programação de Março

CCA Gonçalves Correia em Aljustrel (a decorrer no Club Aljustrelense)
http://goncalvescorreia.blogspot.com/

1 (sábado) a partir das 17.00
Conversa com companheiros do Centro Social Okupado e Autogestionado Casas Viejas (Sevilha)
Concerto Punk Rock ABANDALHADOS (Odemira) ENFRASCADOS (Cascais)

7 (sexta) a partir das 21.00
Lançamento da Revista BÍBLIA e concerto com GAZUA (power trio Punk Rock de Lisboa)
Apresentação e leitura de textos da Revista Bíblia (nº27 e 28), espaço de experimentação nas tendências contemporâneas das artes visuais e da literatura desde 1996
www.revista-biblia.com/
www.myspace.com/gazua

13 (quinta) a partir das 21.00
Concerto PART TIME KILLERS (Punk-Rock melódico da Finlândia)
www.myspace.com/parttimekiller

15 (sábado) a partir das 17.00
Conversa sobre a situação de António Ferreira de Jesus.
http://libertemferreira.no.sapo.pt/
Concerto PAYASOS DOPADOS (punk rock reggae core ska de Badajoz a Évora) + banda a confirmar…noite dentro punk-hardcore-crust dj’s…
Janta vegetariana e bar benefit para projecto editoriais sobre a situação carcerária em Portugal.
www.myspace.com/payasosdopados3

22 (sábado) a partir das 21.00
Concerto ARTIGO 19 (Punk Acústico do Porto) e MÁRIO O TROVADOR (a viola e à voz subversiva de Cascais)

29 (Sábado) a parti das 21.00
Concerto O CÃO (guitarras, batidas, noise e rock de Lisboa) + Drum’n’Bass NSKET (de volta ao Club…)
www.myspace.com/ocao
http://www.badmood.net/


Adiantando… Abril

19 (Sábado) II Festival Anti-Fascista
A partir das 17.00…. apresentação e conversa com o colectivo Acção Anti-Fascista.
E noite adentro concerto com 5 bandas…
http://www.accaoantifascista.pt.vu/

terça-feira, 26 de fevereiro de 2008

Lançamento da revista Húmus no Porto - 1 de Março - 17:30


Vai decorrer no sábado dia 1 de Março, no Espaço Musas um debate e apresentação do último número da Revista Húmus.


Vão estar presentes alguns membro do corpo editorial e pretende-se debater as questões levantadas pelos texto publicados e quiçá lançar outros temas relevantes do pensamento anarquista actual....


a isto segue-se uma janta quentinha!


[...] Neste contexto de totalitarismo democrático-capitalista, em que qualquer acção de contestação é rapidamente classificada pelos aparelhos mediático-policiais como perturbadora da "ordem pública", logo "anti-democrática", é de saudar o aparecimento de cada vez mais projectos de informação alternativa. Tão só nos meios libertários assistimos ao aparecimento de publicações impressas como o Pica Miolos, o Alambique e o Motim e de projectos como a Rádio Libertária on-line, para além dos inúmeros blogs e sites contra-informativos que vão povoando a Internet. O cenário editorial libertário é hoje mais fértil do que quando, há cerca de ano e meio, arrancámos com o projecto da revista Húmus. E, se de nós depender, esta tendência continuará a aprofundar-se.
Editorial do Húmus nº 4


Húmus #4 disponível em PDF em:
.
.
Organizado por
CALP • Círculo Anarquista Libertário do Porto - 2008+ info: anarlibe.pegada.net

domingo, 24 de fevereiro de 2008

1 de Março em Aljustrel: Conversa sobre o CSOA Casas Viejas de Sevilha

Próximo Sábado voltam a Aljustrel, para uma conversa, alguns companheiros do Centro Social Okupado e Autogestionado Casas Viejas, de Sevilha.
Uma conversa acerca desta experiência, enquanto durou, e o seu mediático despejo. Uma troca de ideias e o que vier mais a dar... é a partir das 17 .00 no Club, para aqueles que não aparecem só para os concertos. Depois, para os que ficam (pela janta vegetariana) e para os que sempre aparecem há concerto punk rock de volta com os ABANDALHADOS de Odemira, e pela primeira vez com os ENFRASCADOS.

Sobre Casas Viejas (desalojada em Dezembro último) ver
http://www.alasbarricadas.org/forums/viewtopic.php?t=24456
ou http://estrecho.indymedia.org/

Centro de Cultura Anarquista Gonçalves Correia
http://www.goncalvescorreia.blogspot.com/

sexta-feira, 22 de fevereiro de 2008

Memória Subversiva: Anarquismo e Sindicalismo em Portugal. 1910-1975 - Documentário de José Tavares e Stefanie Zoch



Memória Subversiva - Anarquismo e sindicalismo em Portugal. 1910- 1975
Um filme de José Tavares e Stefanie Zoch.

Nas primeiras décadas do século XX a ideia anarquista e particularmente o sindicalismo anarquista foram uma força pujante em Portugal.
A CGT (Confederação Geral do Trabalho – anarco-sindicalista) era a única Central Sindical que existia no País. A sua publicação, A Batalha, chegou a ser o terceiro diário de maior circulação no País.
Memória Subversiva é o único documentário sobre este movimento, reunindo os testemunhos de vinte e um activistas anarquisas e sindicalistas. Falam sobre greves insurrecionais e agitação social nos anos vinte, do confronto com o fascismo, da Guerra Civil espanhola, da repressão e clandestinidade, do Campo de Concentração do Tarrafal, do 25 de Abril de 1974…
O vídeo revela o forte humanismo e autodidatismo, características essenciais das actividades anarquistas e sindicalistas. Temas como o anti-militarismo, sexualidade, ecologia e pedagogia moderna estão também presentes como parte integrante de um mesmo combate.
Numerosos documentos e filmes de arquivo ilustram o anarquismo e sindicalismo em Portugal e o seu contexto histórico, desde a primeira República portuguesa até 1975.

http://www.brightcove.tv/title.jsp?title=1423436024

quarta-feira, 20 de fevereiro de 2008

Sons no Bolhão


.SÁBADO - 23 DE FEVEREIRO - 10H-13H
INTERVENÇÃO ARTISTICA/MUSICAL DE RUA – NO MERCADO DO BOLHÃO
ACÇÃO DE SOLIDARIEDADE PARA COM PATRIMONIO E COMERCIANTES

.Vamos recriar um espaço com diferentes formas de arte, cativando mais gente ao Mercado, alertando à sociedade em geral, que o Bolhão está Vivo e não necessita de ser tornado num shopping, semelhante a tantos outros na cidade!

.Venha ouvir OS SONS NO BOLHÃO!
Concertos voluntários de jovens artistas do "Círculo do Fogo" e "Os Galegos", entre outros.

.......................................................APARECE E DIVULGA!

Movimento Cívico e Estudantil contra a Demolição do Mercado do Bolhão

Europa: um sonho ou uma conspiração? - Debate na Casa Viva


6ª, 22 fevereiro 22h00

Conversa de trazer por Casa

Finda a presidência portuguesa da UE, em que as luzes da ribalta e a excitação nacional que provocou impediram que a realidade fosse visível, é, talvez, tempo de ver que interesses andou a defender Sócrates e o seu governo. Com o Tratado de Lisboa a querer moldar-nos vida presente e futura, é, talvez, altura de reflectirmos sobre o que ele e toda a construção europeia passada significam.

Anda a União a abrir ou fechar fronteiras? A quê e a quem? Anda a UE a garantir-nos liberdades ou a roubá-las subrepticiamente? É a Europa um espaço de democracia ou a ponta dum iceberg totalitário? Será esta a Europa que queremos ou até nem queremos Europa nenhuma? Sonho ou conspiração?

A partir das 21h00 de sexta-feira, dia 22 de Fevereiro, as portas da CasaViva abrem-se a todos os convidados que queiram participar nesta conversa de trazer por Casa, que deve começar uma hora depois, ou seja, cerca da 22h00.

Traz as tuas ideias sobre o assunto, que nós, para além dum montão de dúvidas e muitas inquietações, prometemos gente que saiba discuti-lo, nomeadamente Renato Soeiro, colunista da Comuna, revista que promove o debate.

CasaViva
praça marquês de pombal 167 porto
entrada livre (bate o batente)

casa-viva.blogspot.com

terça-feira, 19 de fevereiro de 2008

Solidariedade_ Grémio Lisbonense

Sexta, dia 22 de Fevereiro, às 23h,
.
os KUMPANIA ALGAZARRA "dão força" ao Grémio Lisbonense, com o apoio do CLUBE FERROVIÁRIO DE PORTUGAL.
.

CLUBE FERROVIÁRIO DE PORTUGAL
R. de Santa Apolónia, nº 59 - Lisboa. (Perto da Estação de Santa Apolónia...)
.

Apareçam!


Festa contra as prisões na COSA (Setúbal)


Festa Trashcore contra as prisões e jantar benefit na COSA em Setúbal.

Benefit para projectos editoriais

Sexta-Feira, 22 de Fevereiro, a partir das 20h.

COSA - Casa Ocupada de Setúbal Autogestionada

Rua Latino Coelho nº2 (Junto à estação dos autocarros) -Setúbal

Jantar e oficina de teatro pel@s KAMIQUASES no Centro de Cultura Libertária


A companhia de teatro KAMIQUASES vai fazer um jantar benefit no próximo sábado, dia 23 de Fevereiro, no Centro de Cultura Libertária.

A nossa proposta é que participem numa oficina aberta que iremos realizar naquele ateneu (ou no exterior - consoante o número de participantes) pelas 16h, seguida de jantar vegetariano (às 20h, preço livre).

Apareçam!



Centro de Cultura Libertária: Rua Cândido dos Reis, 121, 1º Dto. - Cacilhas (a 3 minutos dos barcos) - Almada


sexta-feira, 15 de fevereiro de 2008

Concertos de apoio ao Grémio Lisbonense

Sábado, dia 16 de Fevereiro, a partir das 23h, no GAIA - Centro Social da Mouraria
Música pela noite dentro com

PEDRO&DIANA;
KISS-KISS BANG-BANG;
CLAIRE DE LUNE
e SELECTA ALICE.

Sexta, dia 22 de Fevereiro, às 23h, os KUMPANIA ALGAZARRA "dão força" ao Grémio, com o apoio do CLUBE FERROVIÁRIO DE PORTUGAL.
R. de Santa Apolónia, nº 59 - Lisboa. (Perto da Estação de Santa Apolónia...)

Apareçam! Apoiem o Grémio!

http://gremiolisbonense.blogspot.com/

Manifestação pelo Bolhão - dia 16 - 10h - Porto


ASSEMBLEIA DE UTENTES dos TRANSPORTES PÚBLICOS DO PORTO

ASSEMBLEIA DE UTENTES/DEBATE PÚBLICO
- sexta-feira,15/2/08 , 21.OO H. na "A Beneficência Familiar"(Mutualidade)
- Rua Formosa, 325 - 1º (frente à entrada principal do Mercado do Bolhão)

-Frente à indesejável quietude de algumas pessoas que têm até aqui participado no núcleo activista desta iniciativa de base (o MUT) contrastando com o activismo e acção directa populares no início do ano de 2007 no Porto (cortes de estradas,bloqueios de autocarros, etc.)
-Frente a alguns erros e riscos de partidarização deste movimento(como de outros...)
-Frente a um crescente afastamento e desligação dos sectores da população do Grande Porto que só têm como alternativa a utilização dos transportes públicos (sobretudo dos autocarros )
-FRENTE À NECESSIDADE DE RESPONDER EM TERMOS DE ACTIVAÇÃO POPULAR à situação relativa às condições de transporte da "Nova Rede" da STCP
-FRENTE AOS NOVOS AUMENTOS DOS PREÇOS DOS TRANSPORTES que se preparam entre Maio e Junho

DECIDIMOS AVANÇAR COM ESTA REUNIÃO - mais de informação e comunicação MÚTUAS do que para qualquer "sessão de informação" unilateral e do "alto do cavalo"! Alguns de nós pretendem mesmo propôr a participação de mais co-utentes voluntári@s em diferentes grupos de trabalho que possam abranger tod@s quant@s o desejem - funcionando numa base de autonomia relativam./aos partidos políticos (arquivo documental, imprensa, divulgação, contactos, gráfico, etc. ). Mas parece que urge mesmo que tomemos já algumas resoluções colectivamente na assembleia - seja relativamente ao nosso FUNCIONAMENTO seja relativam./a próximas acções de rua e de boicote à "Nova Rede"!

-será que com a "Nova Rede" da STCP...
.ESTAMOS MELHOR DE TRANSPORTES?...
.TEMOS MELHORES HORÁRIOS?...
.SOMOS MELHOR TRANSPORTAD@S?
.AS NOVAS LINHAS SERVEM A MAIORIA DA POPULAÇÃO MAIS PRECARIZADA?...
.AS PARAGENS PRINCIPAIS TÊM TODAS ABRIGOS?...
.OS PREÇOS SÃO ACESSÍVEIS?...

e o Metro?...
.Os preços são acessíveis? A quem?
.As linhas existentes compensam as de autocarros que foram suprimidas ou encurtadas?
.Nas paragens, estações e apeadeiros sentimo-nos mais seguros com e sem "gorilas" das "seguranças" ou da polícia?
.Já temos WCs a funcionar nos apeadeiros?...

QUE FAZERMOS??? CONFORMAMO-NOS OU AGIMOS?....TEREMOS QUE PEDIR AO POVO MOÇAMBICANO QUE NOS VENHA CÁ DAR UMA AJUDINHA?... ESTAS QUESTÕES SÃO DE DESPREZAR E DEIXAR "PARA QUEM TEM TEMPO"(?) OU NÃO TERÃO A VER DIRECTAMENTE COM A CADA VEZ MAIOR "INVASÃO DE LATA AUTOMÓVEL" PARTICULAR AO ESPAÇO DA CIDADE (coisa que agradou muito à Associação dos Comerciantes do Porto , quando exigiram na Baixa o Metro subterrâneo em vez de À SUPERFÍCIE para permitir o acesso da "lata automóvel" privada ao comércio "de qualidade")?

ISTO NÃO TEM TUDO A HAVER COM UMA CONCEPÇÃO CAPITALISTA, HIERÁRQUICA, DE DESIGUALDADE SOCIAL, DE PERIFERIZAÇÃO DOS SECTORES MAIS CARENCIADOS DAS POPULAÇÕES ... A QUE NOS OPOMOS E QUE QUEREMOS COMBATER????

O ACTIVISMO SOCIAL AUTÓNOMO E ANTIAUTORITÁRIO NÃO ACABA (quando muito, para alguns, apenas começa!)COM A DEFESA DO BOLHÃO!!!!!!!

APAREÇAMOS E PARTICIPEMOS NESTA ASSEMBLEIA ! p.f. PASSEM PALAVRA!


nota: ontem ao fim da tarde, activistas do MUT e da Terra Viva distribuíram, nas paragens da STCP, em frente à Est.de S.Bento, flyers convidando os utentes da STCP a aparecerem na ASSEMBLEIA de sexta à noite (hoje), tendo trazido consigo... uma PARAGEM MÓVEL improvisada, feita de paus, jornais e plásticos (e alguns bancos) como forma de lembrar às pessoas nas longas filas que se iam formando para os autocarros que ALI E NOUTROS LOCAIS FALTAM ABRIGOS EFICAZES, cuja falta se fará mais notar nos próximos dias de chuva que se prevêem...
(No "1ºde Janeiro" de hoje ou de amanhã deve vir uma foto...)

Terra Viva!AES

APAREÇAMOS E PARTICIPEMOS NESTA ASSEMBLEIA ! p.f.PASSEM PALAVRA!APAREÇAMOS E PARTICIPEMOS NESTA ASSEMBLEIA ! p.f.PASSEM PALAVRA!

Um possível relato da concentração de apoio ao Grémio, de dia 13 de Fevereiro

Por volta das 17 horas começaram a juntar-se pessoas no Rossio, seguindo uma convocatória de apoio ao Grémio Lisbonense, no dia em que a advogada do mesmo se reunia com representantes do proprietário para tentar chegar a um acordo quanto à manutenção, naquele espaço, daquela associação.

Compareceram entre duas a três centenas de pessoas que se concentraram no Rossio, junto à fachada do edifício do Grémio. Foram colocadas em edifícios e postes do local faixas de solidariedade com o Grémio e de denúncia da violência policial ocorrida durante e após o protesto contra o despejo do passado dia 8.

As pessoas foram permanecendo no local durante algumas horas enquanto se aguardava a chegada da advogada. Houve uma irónica performance alusiva às pretensões da “marquesa” proprietária e à actuação policial de sexta-feira. Um outro grupo continuou a tocar tambores enquanto decorria o protesto. Distribuíam-se panfletos do blog Bastounada contra a repressão policial.

Enquanto decorria a concentração um grupo de pessoas interessadas em apresentar uma queixa à Inspecção-Geral da Administração Interna, sobre a actuação policial, reuniu-se para levar a mesma a cabo.

Por volta das 19.30, ouviu-se dizer que chegou a advogada, juntaram-se as pessoas para ouvir o que ela teria para dizer. Mas, surpresa das surpresas! Não foi para os sócios e amigos do Grémio ali concentrados que ela veio discursar, mas sim para os jornalistas que logo se concentraram em seu torno. Apenas por intermédio de terceiras pessoas, conseguiram os presentes saber as novidades (que não existiram!). Haverá nova reunião para a semana – foi o que conseguimos saber.

As pessoas começaram a desmobilizar. E assim terminou a concentração de apoio ao Grémio, sem respostas, com soluções adiadas… para a semana que vem. Como se na semana que vem não estivéssemos ainda dispostos a lutar pelo que é nosso: o Grémio!




terça-feira, 12 de fevereiro de 2008

de Cadência_ Festa Benefit para o Círculo Anarquista Libertário do Porto

de Cadência
do Lat. cadentia, s. f.; regularidade (de movimentos, sons, etc. ); ritmo; compasso; harmonia na disposição das palavras; suavidade (de estilo); sequência de acordes no final de uma frase musical.
.
16 Fevereiro • Sáb.
Casa Viva • Pr. Marquês, 167
.
18:30 Mete Discos
MD Añuk
MD Brunihil
MD Exp3r1 ment4l
MD Intermundo-loção
.
há Sopa & Petiscos
Livros & Publicações
.
.
CALP • Círculo Anarquista Libertário do Porto - 2008
+ info: anarlibe.pegada.net * casa-viva.blogspot.com



Ainda celebrando o Centenário do Regicídio...


Acção de homenagem aos regicidas levada a cabo no Porto!

sábado, 9 de fevereiro de 2008

O Grémio é nosso! Relato do protesto contra a acção de despejo!


O Grémio é nosso!
Relato do protesto contra a acção de despejo

O alarme soou a meio da tarde de sexta-feira (dia 8): «Estão a despejar o Grémio!».
Uma multidão de amigos do Grémio começou a concentrar-se junto à entrada. Pelas 19 horas seríamos pelo menos uma centena de pessoas que olhavam impotentes para os trabalhadores de uma companhia de mudanças que iam retirando os bens do Grémio para uma Carrinha.

Nos últimos meses, o Grémio Lisbonense, associação com mais de 150 anos, situada em pleno Rossio, tornou-se um espaço querido para tod@s @s que o passaram a frequentar. Muit@s se fizeram sóci@s e outr@s mais amig@s do Grémio, que se transformou num centro de dinamismo cultural e num ponto de encontro nesta cidade abandonada aos caprichos da especulação capitalista.

Há já alguns meses que a ameaça de despejo pendia sobre esta associação. Algumas obras realizadas sem a autorização do proprietário foram o pretexto para uma acção de despejo. O espaço amplo com varandas e janelas sobre o Rossio é cobiçado pelo senhorio para a instalação de um hotel.

Enquanto nos concentrávamos em frente ao Grémio, muit@s queriam fazer algo. Houve uma assembleia na escadaria da entrada do Grémio. Um representante do vereador Sá Fernandes disse que iriam realizar uma reunião na quarta-feira para chegar a um acordo com o proprietário. A assembleia desmobilizou. Mas não as pessoas. Discute-se o que fazer.

Há uma nova assembleia. Pouco depois das 19.30 decidimos avançar com um protesto pacífico subindo tod@s - dezenas de pessoas - para ocupar a escadaria do Grémio como forma de protesto. A guardar a porta do Grémio estavam cinco mercenários de azul. Reparámos que tinham retirado as suas identificações do peito. Mal chegámos junto dos polícias, um deles perguntou “que fazem aqui?”. Uma companheira respondeu simplesmente “Estamos aqui” e os polícias começaram a empurrar e a agredir à bastonada as pessoas que ocupavam a escada, fazendo-os cair sobre os que estavam mais em baixo na escada.

Alguns apelam à calma. As agressões param. Aparece um membro da direcção do Grémio a dizer que haverá uma reunião na quarta-feira com um representante do proprietário para chegar a uma acordo que salve o Grémio com uma actualização da renda.

Os presentes, que foram agredidos, não desmobilizam, pedem os nomes dos polícias que os agrediram. Estes não respondem. Grita-se: “ O Grémio é nosso!” e “Repressão policial, terrorismo oficial”. Chegam reforços policiais que tentam abrir caminho pelas escadas para chegar aos colegas que estão em cima. Sentamo-nos no chão, tentando impedir a sua passagem.

Mal os reforços se juntaram aos polícias que já permaneciam na entrada do grémio, começaram a varrer à bastonada a escadaria do Grémio. Os manifestantes foram recuando firmemente a golpes de bastão, sem hipótese de se defenderem, até serem expulsos da entrada do edifício. Formou-se de seguida um cordão policial em frente à entrada do Grémio.

Temos conhecimento de que um manifestante foi detido. Foi apanhado no meio da razia da polícia, detido e só levado para a carrinha após os manifestantes desmobilizarem, de forma que não podessemos ver.

Diversas pessoas tiveram de receber tratamento hospitalar.

Aguardamos os resultados da anunciada reunião de quarta-feira… Não desmobilizaremos da luta pelo Grémio, um espaço de tod@s para tod@s. O Grémio é nosso!

Violência Policial - Grémio Lisbonense

Lisboa: PSP atinge à bastonada sócios e amigos do Grémio Lisbonense
8 de Fevereiro de 2008, 21:10

Lisboa, 08 Fev - Agentes da PSP que guardam o Grémio Lisbonense, na Praça do Rossio, intervieram hoje à bastonada atingindo alguns sócios e amigos da associação que se insurgiram contra o despejo ordenado pelo tribunal.

Cerca das 20:00, agentes da PSP que guardam a associação, que hoje foi despejada do primeiro andar de um edifício da baixa pombalina que ocupava há mais de 150 anos, atingiram com cassetetes vários sócios e amigos da instituição que se encontravam nas escadarias de acesso às instalações insurgindo-se contra o despejo ordenado pelo tribunal.

O repórter fotógrafo da agência Lusa Mário Cruz também foi atingido pela polícia na cabeça, nos braços e nas costas.

"Estávamos a tentar dialogar mas a polícia bateu indiscriminadamente na cabeça, nas mãos e no pescoço dos vários associados", afirmou à agência Lusa um dos sócios do Grémio Lisbonense, Daniel Melim, que tinha um saco com gelo sobre uma das mãos.
Este jovem associado e mais cerca de uma centena de pessoas encontram-se na Praça do Rossio, em frente ao Arco da Bandeira, onde vários agentes da PSP impedem o seu acesso às instalações do Grémio Lisbonense.

Momentos antes da intervenção da polícia, três homens de uma empresa de mudanças retiraram da sede da associação diversos haveres do bar, enquanto no átrio do edifício se concentravam algumas dezenas de sócios e amigos do grémio.

Violência Policial no GRÉMIO LISBONENSE - 8 de Fevereiro


Solidariedade para com os agredidos

Mais uma vez e de cada vez, de forma mais vergonhosa - embora nunca envergonhada -, a polícia carregou sobre sócios e amigos do Grémio Lisbonense, quando estes tentavam impedir que o edifício fosse fechado.
Notícias como as que recebemos de estações de televisão, previsivelmente, tentam legitimar este tipo de intervenção policial, caso da SIC e Diário do Noticias. Deixemos, portanto, de pensar que algo de verdadeiro pode daí advir e começar a criar meios autónomos de divulgação da barbárie estatal e capitalista.
Desde já se faz o apelo para que os feridos peçam relatórios de médicos, guardem radiografias, etc, para que, se necessário, existam provas das agressões.

Força Companheir@s!

http://www.tvnet.pt/noticias/video_detalhes.php?id=19585

http://www.tvnet.pt/noticias/video_detalhes.php?id=19587

http://noticias.sapo.pt/lusa/artigo/81245d409822c2fec2785d.html

http://noticias.sapo.pt/lusa/artigo/979921f3fbf331ce255494.html

Ordem de Despejo - Grémio Lisbonense

Lisboa: Grémio Lisbonense com ordem de despejo


Lisboa, 08 Fev. - O Grémio Lisbonense recebeu hoje uma ordem de despejo, revelou à Lusa

Natário Pedro, vice-presidente desta associação centenária:

De acordo com Natário Pedro, as chaves são hoje entregues ao senhorio mas o património da associação continua dentro do edifício até ser encontrado um novo sítio.
O vice-presidente admitiu que a associação Grémio Lisbonense continua a tentar entrar em acordo com o senhorio mas tem "poucas esperanças" de chegar a um acordo.
O caso remonta ao ano de 1998 quando o proprietário do imóvel iniciou uma ordem de despejo ao Grémio Lisbonense após a realização de obras numa das salas do Grémio, alegadamente sem o consentimento do senhorio.
O proprietário do edifício alega que "demoliram-se paredes interiores" na sala sul do imóvel, que "parte do chão de madeira foi levantado e substituído por mosaicos" acrescentado que as referidas obras alteraram substancialmente a arquitectura do edifício bem como afectaram a "resistência e a segurança do prédio".
O senhorio acrescenta ainda que o Grémio "cedeu a utilização de parte do imóvel a terceiros" sem aviso prévio.
O Grémio Lisbonense, apesar de compreender os argumentos apresentados pelo senhorio, defende que "as obras eram necessárias devido à idade do imóvel" que não tinha casa-de-banho e a cozinha não respeitava os padrões actuais exigidos.
No entanto, defende que as obras não incluíram as paredes mestras ou as estruturas.
O Grémio Lisbonense pediu recurso, sem sucesso, para anular a ordem de despejo, alegando que o tribunal que julgou o caso não tinha competência para o fazer, isto porque o Grémio é uma associação que não tem fins lucrativos e tem uma função social reconhecida, logo seriam os Tribunais Administrativos os mais aptos para julgar o caso.
Apesar das inúmeras tentativas para salvar o Grémio Lisbonense, o caso encerrou hoje com a concretização da ordem de despejo.

quinta-feira, 7 de fevereiro de 2008

Concentração por um Mundo sem Fronteiras

Porto, 9 de Fevereiro, Praça da Batalha, 15H

Concentração

Por Um Mundo Sem Fronteiras

Esta é uma acção contra as políticas hipócritas, securitárias e injustas de imigração. A Europa da união criminaliza e discrimina quem cruza as suas fronteiras em busca de uma vida melhor.

Os imigrantes, legais ou não, contribuem através do seu trabalho e do pagamento de impostos para a acumulação capitalista da riqueza da União Europeia, assim como para o rejuvenescimento populacional do espaço Schengen. Ao mesmo tempo que o Estado Português os reconhece nas suas obrigações, discrimina-os nos seus direitos. Aos ilegais é negado o acesso à habitação, educação, saúde e cidadania.

Porque não queremos viver num mundo dividido em redomas mais impenetráveis para uns do que para outros. Porque não são as pessoas que atravessam as fronteiras, mas sim estas que se atravessam nos caminhos das pessoas, negando assim uma qualidade inerente ao humano: o desejo de ir além, de procurar, de conhecer.

Fim à Hipocrisia da Europa Fortaleza

Ninguém é Ilegal

Sábado: Tod@s ao Bolhão!

QUEREM-NOS ROUBAR O BOLHÃO! VAMOS MOSTRAR QUE ELE É NOSSO:
SÁBADO, 9 DE FEV. - 10 H.
TODOS AO BOLHÃO (entrada rua formosa)
Tragam a vossa boa-disposição e indignação num abraço de solidariedade com os comerciantes do NOSSO mercado.

A acção é promovida por associações e movimentos cívicos da cidade do Porto.
APAREÇAM E PASSEM A PALAVRA A TODOS OS VOSSOS CONTACTOS
TEMOS POUCOS DIAS PARA IMPEDIR ESTE CRIME!
(Até ao fim do mês de Fevereiro!)

Já está a disponível nas bancas do Mercado e nos cafés e lojas das redondezas uma petição contra a demolição deste simbolo da cidade do Porto.
O mercado do Bolhão corre o risco de desaparecer para sempre...
Este típico mercado da cidade do Porto, tem vindo a resistir ao longo dos anos, mas agora está ameaçado por fortes interesses económicos num edifício que está classificado como Património Nacional.
O presidente da Câmara do Porto, decidiu que a melhor forma de reabilitar este velho edifício era entregá-lo a uma empresa privada para o gerir nos próximos 50 anos!
A escolhida foi a multinacional holandesa TCN – Tramcrone que já está a elaborar um projecto para o mercado. Esse projecto vai destruir o mercado tradicional, transformando este fantástico espaço em mais um Centro Comercial igual a muitos outros. Todo o interior do edifício será demolido para dar lugar à especulação imobiliária (supermercado, lojas, habitações...)
Este edifício começou a ser construído em 1851, e é actualmente o único mercado tradicional do centro da cidade, considerado a alma do Porto onde se podem ainda encontrar as típicas vendedeiras e as genuínas gentes do Porto.
Ajude-nos a salvar o mercado do Bolhão. Denuncie este atentado contra o património.

Mais informação em:
http://www.manifestobolhao.blogspot.com/

quarta-feira, 6 de fevereiro de 2008

Exibição do Filme «Encontro dos Povos das Américas»

Exibição do Filme Vicam - Encontro dos Povos das Américas - Seguido de Debate

Dia 8 de Fevereiro (6ª Feira), às 21 horas

Na Fábrica de Braço de Prata R. da Fábrica do Material de Guerra (frente aos Correios)
-Junto ao Largo do Poço do Bispo - Lisboa

- Transportes:
Autocarros 28, 718, 755 e 210 (saída no Largo do Poço Bispo)
Autocarros 81 e 82 (saída Avª.Infante D.Henrique,junto Largo do Poço Bispo)


A TERTÚLIA LIBERDADE organiza a exibição deste filme inédito em Portugal, realizado por um participante, no México, em Outubro do ano transacto. O Encontro no território do povo Yaqui, apresenta testemunhos de luta e resistência cultural, com depoimentos, cantos e danças. Assim tomamos conhecimento de mensagens da luta por "um mundo sem dominantes nem dominados, um mundo sem capital,um mundo melhor". Através destes testemunhos recebemos sinais de esperança e rebeldia apelando à resistência global.

http://tertulialiberdade.blogspot.com/

segunda-feira, 4 de fevereiro de 2008

Movimento Porta 65 Fechada promove Fim-de-Semana de Contestação

O Movimento Porta 65 Fechada promove no dia 9 e 10 de Fevereiro um Fim-de-Semana de Contestação ao programa de "incentivo" ao arrendamento jovem.

O Movimento Porta 65 Fechada (http://porta65.blogspot.com/) que congrega cidadãos afectados ou preocupados com o novo programa Porta 65 Jovem, desafia todos aqueles que se preocupam com a estabilidade dos jovens, hipotecando o futuro de todos nós, a estarem presentes no fim-de-semana de contestação.

Dia 10 às 16.30, manifestação em simultâneo no Rossio em Lisboa e na Praça da Batalha no Porto.

No dia 9, Sábado, José Mário Branco junta-se e toca connosco a partir das 20h na Crew Hassan ao pé do Coliseu. No Porto, é a vez dos F.R.I.C.S. à mesma hora na Casa Viva à Praça Marquês de Pombal. Entrada livre em todas as iniciativas.

O Movimento integrará ainda, no dia 9 em Faro, o Komboio dos Lokos, organizado pela Associação Recreativa e Cultural do Algarve.Em baixo todos os detalhes por cidade em anexo o cartaz da acção.


:::::::::::::::::::: LISBOA ::::::::::::::::::::

----DIA 10---- MANI FESTA ACÇÃO

// Concentração \\ 16h30 Praça do Rossio

Representação da casa Porta 65 Jovem
Enterro da Porta 65 Jovem e música
Rossio - Pç do Comércio

---DIA 9----

// Crew-Hassan \\ 20h (mapa)

Projecção de vídeo
Tertúlia - Representantes de Plataforma Artigo 65, Movimento Porta 65 Fechada, Associação dos Inquilinos Lisbonenses, José Mário Branco
Música - José Mário Branco, Corsage e Baby Jane
Preparação de materiais


:::::::::::::::::::: PORTO ::::::::::::::::::::

---DIA 10---- MANI FESTA ACÇÃO

// Concentração \\ 16h30 Praça da Batalha
Enterro da porta
Mimos e músicos
Batalha - Santa Catarina - Bolhão - Aliados.

----DIA 9----

// Casa-Viva \\ 21h (mapa)
projecção de vídeo
Continuação da noite com dj

http://porta65.blogspot.com/

sábado, 2 de fevereiro de 2008

Manifestação regicida em Lisboa: 1 de Fevereiro de 2008

Para comemorar essa grande data da história da luta pela liberdade em Portugal, que foi o regicídio levado a cabo em 1908 por Alfredo da Costa e Manuel Buíça, e para honrar a memória daqueles que praticaram tamanho acto de libertação pagando pelo mesmo com as próprias vidas, realizou-se uma manifestação em Lisboa na tarde de 1 de Fevereiro.

Pelas 17.30, enquanto se realizava uma concentração monárquica no Terreiro do Paço, cerca de 30 pessoas irromperam pela dita praça , empunhando bandeiras negras e três faixas onde se podia ler “O rei morreu. Viva o Costa”, “O rei morreu. Viva o Buíça” e “Xeque Mate”. Foram gritadas palavras de ordem como “Buíça está vivo nos nossos corações. Nem Rei. Dem Deus. Nem Pátria. Nem Patrões”, “Passaram cem anos desde o regicídio. Para os próximos governantes recomendamos o suicídio” ou “Nem República, nem Monarquia. Morte ao Estado e viva a Anarquia”.

Após alguns minutos de permanência no Terreiro do Paço, como estávamos a estragar a festa de glorificação dos opressores do povo e de apagamento da memória das lutas sociais em Portugal, um grupo de polícias abordou a manifestação, dizendo que não podíamos estar ali “a provocar” e logo tratando de tentar apreender as faixas. Firmes no propósito que ali nos levava, não deixámos que nos tirassem as faixas e gritámos ainda com mais ânimo. Retirámos então em bloco do Terreiro do Paço e percorremos a Rua Augusta até ao Rosssio.

Terminámos o percurso no Rossio, em frente ao Café Gelo, local de encontro e conspiração dos revolucionários de há cem anos, em frente do qual afixámos duas faixas, após o que a manifestação dispersou.

O REI MORREU! VIVAM OS REGICIDAS! VIVA A LIBERDADE!











Vídeo da manifestação no Youtube:
http://www.youtube.com/watch?v=ePexWK-PYf4

Reportagem da RTP:
http://ww1.rtp.pt/noticias/index.php?headline=98&visual=25&article=324102&tema=27

PS: A faixa do Bloco de Esquerda a que se refere a RTP foi uma faixa do BE que o pessoal reciclou do lixo para utilizar na manif, pintando nas costas da mesma. Como não temos tanto dinheiro como a esquerda endinheirada, que se dá ao luxo de jogar fora faixas em condições, viva a reciclagem!

sexta-feira, 1 de fevereiro de 2008

1908-2008: O REI MORREU! VIVAM OS REGICIDAS!

.
.
.
.
.
.
.
.
.
..
.
.
.
. .
«Sou pelas greves como sou por todos os métodos de resistência utilizados pelos fracos, pelos oprimidos, em defesa dos seus legítimos interesses (...). O meu ódio maior, a minha mais viva repulsa, dirigem-se aos patrões burgueses que nos exploram e que sem altivez servimos.»
Alfredo Costa, segundo Aquilino Ribeiro (Um Escritor Confessa-se, Lisboa, 1974, p. 361)

«A elaboração do regicídio operou-se fora da nossa presença [dos republicanos] e sem a nossa cumplicidade (...). Não foi pois a revolução que o matou [D.Carlos], mas sim a anarquia.»
João Chagas, político republicano (Subsídios Críticos para a História da Ditadura, Lisboa, 1908, pp. 8-11)

Celebramos, no dia 1 de Fevereiro de 2008, o centenário de um acto glorioso de emancipação social como sempre é a execução de um rei. Os regicidas que, em 1908, levaram a cabo o bem sucedido atentado contra o rei e o príncipe herdeiro –, Alfredo Luís Pereira da Costa, ex-administrador do semanário sindicalista da sua classe profissional, «O Caixeiro», e Manuel dos Reis Buíça, professor do ensino livre –, eram homens de uma consciência social profunda, que os levou a sacrificar a sua vida pela concretização dos seus ideais de liberdade e igualdade social.

Para muitos, como Buíça e Costa, a República surgia como uma possibilidade de realizar as aspirações por um mundo livre e igual. Seria também uma forma de acabar com a repressão que pendia sobre o crescente movimento operário e libertário, acabando com as famigeradas leis anti-anarquistas e com as prisões e deportações para África e Timor, de onde poucos voltavam.

Mas as esperanças do povo que saiu à rua para implantar a República, em 5 de Outubro de 1910, foram frustradas, quando, instalados no poder, os republicanos se converteram em opressores tão ou ainda mais ferozes que os monárquicos. Por isso, o movimento operário, anarco-sindicalista, cresceu a partir de 1911 contra a República, enfrentando a sua repressão.

Hoje, como nestes tempos, os governantes, qualquer que seja a sua cor política, servem sempre os seus interesses e os da máquina capitalista. Só a luta autónoma, auto-organizada e directa pela recuperação do controlo sobre as suas vidas, pode surtir algum efeito contra aqueles que nos oprimem e exploram todos os dias.

HOJE COMO ONTEM, GUERRA A TODOS OS QUE NOS OPRIMEM, MONÁRQUICOS OU REPUBLICANOS, FASCISTAS OU DEMOCRATAS!

@s amig@s de Costa e Buíça

* * * * * * * * * * *
.
Faz o download deste panfleto em pdf em:
http://portugal.sarava.org/cidades/c1/imgpublico/1201866303a1f8447e23.pdf?PHPSESSID=e0b7375dffece9815df6bfeb58173400