terça-feira, 25 de maio de 2010

Poema

Vendem-nos a felicidade a peso, a crédito, e em suaves prestações mensais.
Tudo em nome do santo conforto e do prazer.
Não querem que nos falte nada.Preocupam-se comnosco!
Têm formulas para tudo, mas não conseguem explicar a beleza de uma flor ou o sorriso de uma criança.
Em nome dos " Monstros do Ego"
as florestas são devoradas.
Vidas inteiras são destruidas
e guerras são lançadas.

Não há limites para a sua fome.
O seu desejo é insaciável!



Vitor Carvalhais