domingo, 18 de abril de 2010

Manifestações na Grécia em solidariedade e contra a prisão de anarquistas

[“Liberdade para Marios Zervas. Nem um dia a mais na prisão”, foi o lema do Dia de Ação Helênico que ocorreu hoje (16 de abril) pela Grécia. O principal foco dos protestos aconteceu em Atenas.]

Sob forte presença policial nas ruas, com faixas e gritando palavras de ordem, uma multidão de mais de 5.000 pessoas protestou hoje, na capital grega, contra a prisão do ativista Marios Zervas, 28 anos, detido sem qualquer motivo um mês atrás, durante a grande Greve Geral de 11 de março no país.
(...)
Em todas as manifestações, além de exigir a liberdade de Mario, as pessoas protestavam contra o Estado, as agressões da polícia e o papel sujo dos meios de comunicação, especialmente com a notícia que foi exaustivamente repetida nos últimos dias, que tenta conectar os seis presos anarquistas (detidos no último sábado) como supostos membros da organização armada "Luta Revolucionária".

Sob forte presença policial nas ruas, com faixas e gritando palavras de ordem, uma multidão de mais de 5.000 pessoas protestou hoje, na capital grega, contra a prisão do ativista Marios Zervas, 28 anos, detido sem qualquer motivo um mês atrás, durante a grande Greve Geral de 11 de março no país. Desde então ele permanece na cadeia, sem julgamento. Marios usa dreadlocks (em anexo fotos do momento da sua prisão), e talvez este tenha sido o motivo da polícia de choque tê-lo como suspeito, prendê-lo e acusá-lo de tumultos, sem qualquer prova ou testemunhos.

No final da manifestação houve registros de choques entre manifestantes e a polícia na Avenida Panepistimoiu e no bairro de Exarchia.

Em Tessalônica, apesar da chuva, mais de 1.500 pessoas participaram da manifestação. Anteriormente, a polícia atacou cerca de 70 pessoas que se dirigiam para o protesto detendo três pessoas. Depois da manifestação, e como protesto contra as detenções e também a propaganda "antiterrorista" dos últimos dias levado a cabo pela mídia, um grupo de anarquistas ocupou a Faculdade de Jornalismo. Ela ainda permanece ocupada.

Na cidade de Patras mais de 400 pessoas participaram da manifestação. Em Iraklio, a solidez das pessoas mudou os planos iniciais, e a concentração no centro da cidade se transformou numa combativa manifestação com mais de 200 pessoas. Em um momento de tensão e sem qualquer provocação ou confrontação, a polícia prendeu duas pessoas. Depois do protesto, os manifestantes ocuparam a Pinacoteca Municipal da cidade.

Em Volos, cerca de 150 pessoas marcharam pelo centro da cidade. Na cidade de Ksánzi mais de 150 pessoas saíram às ruas. Em Livadia, local de nascimento de Mario, aproximadamente 150 pessoas também foram para as ruas. Em Janiáy e Mitilíni, perto de 100 pessoas se reuniram em distintas concentrações. Na cidade de Corfu, mais de 50 pessoas participaram de um protesto. Também foram realizadas manifestações em outras cidades da Grécia.

Em todas as manifestações, além de exigir a liberdade de Mario, as pessoas protestavam contra o Estado, as agressões da polícia e o papel sujo dos meios de comunicação, especialmente com a notícia que foi exaustivamente repetida nos últimos dias, que tenta conectar os seis presos anarquistas (detidos no último sábado) como supostos membros da organização armada "Luta Revolucionária".

Vídeo Atenas:

› http://www.youtube.com/watch?v=SOS2zjT2Yvw&feature=player_embedded

Fotos Tessalônica:

› http://athens.indymedia.org/front.php3?lang=el&article_id=1155119

agência de notícias anarquistas-ana