domingo, 25 de abril de 2010

Festival cancelado em Lisboa por pressão da polícia em vésperas do 25 de Abril!!!


Na sexta, dia 23 (um dia antes do fest) quando nos deslocámos à associação boa união para arrumar o espaço para o concerto fomos informados que não poderíamos continuar ali.

Segundo eles a polícia foi lá e disse que não era aconselhável haver concerto porque "é coisa de anarquistas". A polícia disse também que como somos piores que nazis e integrantes dos no name boys podíamos causar distúrbios. A hipótese que nos queriam dar para continuar era arranjar uma licença de ruído e uma licença da SPA para cada banda...

De qualquer das maneiras esse espaço não vai receber mais concertos (pelo que vi já houve outros que foram cancelados).

Fica o texto do flyer que distribuímos ontem na kylakancra:

Todos temos os nossos objectivos. Seja viver uma vida pacífica com um dia-a-dia estável, seja contestar os valores da nossa sociedade com vista a empurrar o nosso mundo numa direcção mais positiva e justa.
Para todos vós as nossas existências estão ameaçadas. A vida como a conhecemos só tende a piorar. O Tratado de Lisboa permite o uso da pena de morte na Europa contra actos daqueles que se preocupam com um futuro melhor, uma policia global foi criada a revelia do publico com o objectivo de, sem responder às leis que votámos, estrangular as vozes de quem não se vê satisfeito com o estado da nossa sociedade.


Agora no dia 24 de Abril de 2010, 36 anos depois do 25 de Abril, a polícia impede a concretização de um concerto organizado pelos jovens que constituem o futuro do nosso planeta. De uma forma intransigente cancelam uma organização independente, sem fins lucrativos com o objectivo de promover a cultura e a interacção de todos nós.

36 anos depois de se celebrar a liberdade de expressão e o fim da ditadura calam as nossas vozes com argumentos politico-ideológicos. Aquilo que é o mais básico da dita liberdade de expressão é o argumento utilizado pelas forças do estado para nos impedirem de vivermos a nossa vida.


Não queremos um estado militarista que, recorrendo ao poder, nos abafa e força-nos a viver uma vida que não queremos, que nos impede de fazer o que queremos.

Que o 25 de Abril de 2010 não seja mais uma celebração dos anos passados mas sim uma ponte para um mundo mais justo, feitos para as pessoas e não para os interesses egoístas dum governo corrupto e distante do povo.


Porque por mais que tentem somos ainda imunes ao dinheiro que gere este planeta, somos imunes ao vosso egocentrismo, somos imunes ao vosso ódio
.